Pancadaria em campo de futebol deixa 4 feridos em São Paulo

Confusão ocorreu no mesmo local onde outra briga, há 11 dias, culminou em agressões a um jovem dentro de um pronto-socorro

AE |

selo

Uma partida de futebol amador entre um time da cidade e outro do distrito de Guarapiranga terminou em confusão generalizada, no início da noite deste domingo, em Ribeirão Bonito, na região de Ribeirão Preto. Quatro pessoas foram feridas. 

O caso mais grave foi o de Valdeir Ferreira da Silva, de 18 anos, esfaqueado num dos ombros e socorrido à Santa Casa de São Carlos. Ele não corre risco de morte. A Polícia Militar (PM) foi acionada e prendeu o autor do ataque pouco depois: o jogador Renivaldo Rosa da Silva, de 27 anos, que está na Cadeia Pública de São Carlos. 

A briga deste domingo no campo de futebol ocorreu após provocações dos dois lados. Pelo menos 50 pessoas teriam invadido o gramado para brigar. Marcas de sangue ficaram no gramado. Em depoimento, Renivaldo, jogador do time do distrito, alegou que puxou um canivete para defender o irmão, também jogador e que estava muito ferido. Os pais dos dois estavam entre os torcedores e também foram agredidos. 

Alguns torcedores são os mesmos que participaram de outra confusão 11 dias antes, em jogo de futsal, no ginásio que fica ao lado do campo de futebol. A briga anterior culminou com o espancamento do trabalhador rural Alaelson Santana de Queiroz, de 23 anos, dentro do pronto-socorro , e quatro prisões. Os quatro presos respondem processo por tentativa de homicídio e formação de quadrilha. E Queiroz, que foi assistir ao jogo de futsal e se desentendeu com outros torcedores, vai responder processo por lesão corporal dolosa, pois feriu um dos agressores com uma faca, o que teria desencadeado toda a confusão. No pronto-socorro local, Queiroz foi agredido com barra de ferro, socos e pontapés, com a ação gravada por uma das câmeras do circuito interno, o que ajudou a polícia na identificação.

Valdeir Silva, que foi esfaqueado, também esteve envolvido na confusão de 11 dias antes. O delegado Marco Aurélio Gonçalves Costa irá pedir o cancelamento das partidas de futebol amador da cidade no período noturno e nos campos que não tiverem policiamento.

Alguns torcedores são os mesmos que participaram de outra confusão 11 dias antes, em jogo de futsal, no ginásio que fica ao lado do campo de futebol. A briga anterior culminou com o espancamento do trabalhador rural Alaelson Santana de Queiroz, de 23 anos, dentro do pronto-socorro, e quatro prisões. Os quatro presos respondem processo por tentativa de homicídio e formação de quadrilha. E Queiroz, que foi assistir ao jogo de futsal e se desentendeu com outros torcedores, vai responder processo por lesão corporal dolosa, pois feriu um dos agressores com uma faca, o que teria desencadeado toda a confusão. No pronto-socorro local, Queiroz foi agredido com barra de ferro, socos e pontapés, com a ação gravada por uma das câmeras do circuito interno, o que ajudou a polícia na identificação.

    Leia tudo sobre: pancadariasão carlosfutebol

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG