Isaías da Silva teria se irritado com atendentes do laboratório, no bairro do Jabaquara. Após um soco do porteiro, Silva bateu a cabeça e entrou em coma

O paciente Isaías Severino da Silva, de 46 anos, morreu após uma briga com um porteiro do Hospital Nossa Senhora de Lourdes, região do Jabaquara, zona sul de São Paulo. Segundo o hospital, a briga ocorreu na segunda-feira (27) na parte externa do prédio e teria sido iniciada pelo paciente. Silva recebeu um soco e teria batido a cabeça. Ele entrou em coma e morreu no dia seguinte na UTI da instituição.

Ainda de acordo com o hospital, toda a movimentação foi registrada pelas câmeras de segurança. Em nota, a instituição explica que Silva foi ao laboratório para realizar alguns exames, na segunda-feira (27). “Quando informado pela atendente que não se encontrava no local indicado para as coletas, o paciente demonstrou grande descontentamento e passou a ofender os atendentes”, diz a nota.

Fachada do Hospital Nossa Senhora de Lourdes nesta manhã. Polícia Civil irá investigar o caso
AE
Fachada do Hospital Nossa Senhora de Lourdes nesta manhã. Polícia Civil irá investigar o caso


Nesse momento, o porteiro Douglas Paula, que também estava no local para realizar exames em seu dia de folga, teria tentado acalmar Silva dando início a uma discussão. Ambos foram levados para o pátio externo do prédio já em luta corporal. O hospital afirma ainda que Silva começou a briga e, quando recebeu um soco do porteiro, bateu a cabeça na rampa do estacionamento.

Equipes de emergência do próprio hospital socorreram Silva e o levaram para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), onde foi constatado o estado de coma e, no dia seguinte, a sua morte. Os agentes do 26º DP, do Sacomã, registraram o boletim de ocorrência e prenderam o porteiro que responderia por lesão corporal de natureza grave consumado.

A instituição afirmou que aguarda os procedimentos policiais para entregar as imagens das câmeras de segurança. O funcionário do hospital estava em período de experiência e foi demitido. Ele foi encaminhado pela polícia para um Centro de Detenção Provisória (CDT).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.