Operação Urbana Água Branca começa após 15 anos

Após arrecadar R$ 85 milhões, Prefeitura começa intervenção em ruas da zona oeste da cidade

AE |

Reforma nas calçadas de duas ruas e a construção de uma ligação entre duas avenidas importantes são as primeiras obras da Operação Urbana Água Branca, na zona oeste de São Paulo. As benfeitorias estão sendo realizadas passados 15 anos de criação da operação urbana, que já arrecadou R$ 85 milhões.

O avanço, entretanto, ainda é tímido. Só 3 das 13 obras previstas para o bairro estão saindo do papel. A promessa da Prefeitura é concluir todo o pacote até o fim do primeiro semestre de 2011.

Embora um dos principais problemas da área sejam as enchentes, tanto as obras já em execução quanto aquelas prestes a serem iniciadas são intervenções viárias ou em calçadas, nenhuma para melhorar o escoamento de água.

A Prefeitura argumenta que as novas calçadas são de peças intertravadas, com capacidade maior de drenagem. Já as associações que representam os moradores do bairro criticam a Prefeitura, reclamando principalmente de falta de transparência nas decisões.

Quem passa em frente ao Shopping West Plaza pode ver uma dessas reformas. A calçada da rua Pedro Machado, sob o viaduto Antártica, está recebendo o novo material. Segundo o planejamento divulgado pela Prefeitura, a maioria das obras fica na área entre o Memorial da América Latina e a Estação Água Branca da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), em uma área de pouco mais de 2 km.

Até fevereiro, a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras (Siurb) tinha uma lista de 11 obras programadas para o bairro. Atualmente, constam 13 serviços (contando com as três mudanças que já começaram). Entre as novidades, está a criação de uma praça linear entre a Avenida Francisco Matarazzo e a Rua Tagipuru.

As obras em andamento estão orçadas em cerca de R$ 17 milhões. Uma empreiteira foi contratada em julho de 2009 para executar as intervenções. Mas os trabalhos começaram somente há dois meses, segundo os moradores. O prazo do contrato é de 21 meses, mas pode sofrer adendos. Até o momento, a empresa já recebeu cerca de 10% do valor, de acordo com o site de transparência da Prefeitura, que registra o último pagamento feito em fevereiro.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG