Oito personagens relatam o drama de viver na rua

Reportagem do iG ouviu histórias de moradores de rua que detalharam a rotina de quem está em situação de rua. Veja os relatos.

iG São Paulo |

Quase seis meses depois de elaborado, a Prefeitura de São Paulo divulgou na última terça-feira o Censo 2009 de moradores de rua. São 13.666 pessoas em situação de rua – um crescimento de 57% nos últimos dez anos. Para especialistas, a falta de política pública alimenta esse crescimento. Há aqueles que afirmam que o número do censo – apesar de alarmante – é menor do que a realidade. Para alguns, apenas na cidade de São Paulo, já são 18 mil moradores de rua .

Pessoas de realidades diversas e levadas para as ruas por motivos diferentes. A reportagem do iG ouviu a história de quem vive as angústias, o medo e as humilhações por morar na rua. Muitas vezes pessoas invisíveis para a sociedade .

Eduardo Bandelli
Retrato de São Paulo onde mais de 13 mil pessoas estão em situação de rua
VEJA OS RELATOS DOS MORADORES DE RUA

- Sem dinheiro para o ônibus, opção é a rua
-
Antes das ruas, a torre Eiffel e Big Ben
-
Desde os 5 anos, a realidade da violência nas ruas
-
A busca por uma vaga em um albergue
-
Sozinho e sem bando
-
Quase jogador de futebol, quase na faculdade...
-
Para fugir das surras do pai, a rua
-
"Policias nos tratam como lixo"

O censo, feito pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), mostra que a maioria dos moradores está no centro da cidade, especialmente na região da Sé, mas até mesmo em bairros considerados nobres na capital paulista – como Jardim Paulista, Moema e Vila Leopoldina – a indústria da miséria deixa suas marcas. Veja relatório completo

“A prefeitura só deixou de fazer. Cancelou programas, fechou vagas em albergues, retirou agentes das ruas”, afirma Robson César Mendonça, ex-morador de rua e atual presidente do Movimento Estadual da População em Situação de Rua em São Paulo.

Para a secretária municipal de Assistência e Desenvolvimento Social e vice-prefeita de São Paulo, Alda Marco Antonio, a prefeitura tem atuado. A secretária destacou que a cidade tem 41 Centros de Acolhida e 15 Centros de Referência da Criança e do Adolescente.

Alda ressaltou o trabalho realizado nos Espaços de Convivência do Parque Dom Pedro criados para atender aos moradores de rua durante o dia. São tendas que funcionam como um pré-albergue, local para aqueles que não aceitam ir para albergues. “Em breve estaremos inaugurando mais três unidades similares, nos bairros de Santa Cecília, Mooca e Bela Vista”, afirmou.

A verdade é que estão pelas calçadas, dormindo em praças ou debaixo de viadutos, nas mais diversas regiões da cidade, um número de pessoas que supera o total de habitantes de mais da metade dos 645 municípios paulistas.

(*com informações da Agência Brasil)

    Leia tudo sobre: moradores de ruaSão Paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG