OAB-SP vai entrar com ação contra delegado acusado de agressão

O delegado é acusado de agredir um cadeirante em janeiro deste ano, depois de uma discussão por uma vaga de deficiente

AE |

selo

Nilton Cardin / Futura Press
Anatole Magalhães Macedo Morandini afirma que foi agredido com coronhadas pelo delegado
A seção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São José dos Campos (SP) notificou na segunda-feira (9) a Corregedoria da Polícia Civil e o Ministério Público para proceder a investigação de ameaças de morte que teriam sido feitas por telefone pelo delegado Damásio Marino ao advogado cadeirante Anatole Macedo Morandini. O delegado é acusado de agredi-lo, em janeiro deste ano, depois de uma discussão por uma vaga de deficiente ocupada irregularmente pelo policial.

A ação deverá se basear em laudo que aponta que as ameaças teriam sido feitas de um telefone da delegacia seccional de polícia de São José dos Campos, supostamente pelo delegado agressor, que estaria em serviço no horário das chamadas.

Segundo o presidente do Tribunal Regional de Direitos e Prerrogativas da OAB, Onivaldo Freitas Junior, os telefonemas ocorreram na mesma data em que Marino foi notificado sobre o processo da agressão. "Caberá à corregedoria investigar", disse.

A entidade, segundo ele, vai continuar acompanhando o caso. O advogado de defesa do policial, Luiz Antonio Lourenço da Silva, disse que "alguém está querendo ver o circo pegar fogo", pois Marino, segundo ele, não estaria trabalhando na data dos telefonemas.

    Leia tudo sobre: delegadoagressãocadeirantejaneiroOAB-SP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG