OAB pede suspensão de prazos para advogados do prédio que desabou

No edifício, em São Bernardo do Campo, escritórios de advocacia tinham cerca de 100 prazos por dia para cumprir

iG São Paulo |

AE
Prédio que desabou parcialmente era comercial e tinha 14 andares
A Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo (OAB-SP) pediu nesta terça-feira a suspensão de prazos para os advogados que tinham escritórios instalados no prédio Senador, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, que desabou parcialmente na noite de segunda-feira (6) . Um ofício foi enviado aos presidentes do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador Ivan Sartori; do Tribunal Regional Federal – 3ª Região, Roberto Haddad, e do Tribunal Regional do Trabalho – 2ª Região, Nelson Nazar.

“Inúmeros advogados mantinham escritórios nesse edifício tradicional do centro de São Bernardo do Campo, sendo que estão impossibilitados de ter acesso aos seus arquivos e documentos para dar andamento aos processos que patrocinam. Assim sendo, solicitamos a suspensão de prazos nas Justiças Estadual, Federal e Trabalhista para que ninguém seja prejudicado devido a esse lamentável acidente”, explicou o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D’Urso.

Buscas: Bombeiros buscam por enfermeira em desabamento em São Bernardo

A Diretoria da instituição também vai disponibilizar na sede da Subsecção de São Bernardo do Campo vários terminais de computadores e outros serviços para que os advogados possam utilizar como escritório temporário. Alguns dos escritórios afetados pelo desabamento tinham cerca de 100 prazos/dia para cumprir.

Desabamento

Seis pessoas ficaram levemente feridas e uma criança, de aproximadamente 3 anos, morreu no desabamento parcial de 13 lajes no prédio comercial de 14 andares no centro de São Bernardo do Campo. Todo o prédio está interditado.



    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG