Nossa filha saiu para se divertir e voltará sem um órgão

Mãe de Adriane Pereira Barros diz que filha teve o baço retirado após acidente no Playcenter, no último domingo

Márcio Apolinário, iG São Paulo |

Três vítimas de um acidente no brinquedo Double Shock, do parque de diversões Playcenter, em São Paulo, na tarde de domingo, seguem internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Metropolitano, nesta segunda-feira.

A situação mais grave é a de Daniele Aparecida Pansarin, de 30 anos, que, segundo sua irmã Luciene Meirelles, sofreu fratura em quatro costelas, fratura exposta na perna e lesões no rosto. De acordo com ela, que visitou a irmã na tarde desta segunda-feira, o quadro é instável. “Minha irmã foi arremessada, e não está nada bem. Ela está sedada e estamos muito preocupados. Ela saiu para se divertir e agora está na cama de um hospital”, relata Luciene em conversa ao iG .

Os pais da adolescente Adriane Pereira Barros, de 13 anos, afirmam à reportagem que a filha, estudante da sétima série, sofreu fraturas na bacia e, por conta dos ferimentos, precisou ter o baço retirado. “Estávamos na igreja tranquilos, pensando que nossa filha estava se divertindo. Mas quando chegamos a nossa casa recebemos a notícia de que ela estava internada em um hospital. Ela ainda não consegue falar como aconteceu o acidente, porque está com o rosto muito machucado e sente muitas dores, além de ter tirado o baço. Nossa filha saiu para se divertir e voltará sem um órgão no corpo.”, lamenta o mecânico Edvan da Silva Barros, de 41 anos, pai de Adriane.

“Segundo os médicos, não havia escolha. Ela estava com o baço esmagado por causa da queda. Se não tirasse poderia dar alguma hemorragia e seria muito pior para ela. Eles (os médicos) não sabem dizer se ela terá algum tipo de sequela. Ela ainda não consegue andar”, explicou Andréia Pereira Barros, mãe da garota. De acordo com ela, a garota tinha ido ao parque com um grupo de amigos da igreja.

A mãe afirma que ela não deixará mais a filha ir ao parque. "Essa foi a última vez que ela foi lá. Não dá pra confiar. Quando aconteceu o outro acidente pensamos que os problemas seriam resolvidos e que a segurança nos brinquedos aumentaria, mas nos enganamos. Mesmo se implorar, ela não vai mais colocar o pé lá".

Adriane estava acompanhada de seu tio Fabio Lima Pereira, de 30 anos, que também foi arremessado do brinquedo. Sua mãe, Terezinha Lima Pereira, disse ao iG que seu filho se lembra pouco do momento do acidente. “Ele não se lembra de quase nada. Disse apenas que sentiu o brinquedo diminuir a velocidade, como se fosse parar, voltou a subir com muita velocidade, quando as travas soltaram e eles foram arremessados. É só disso que ele lembra.”

Suzana Martins de Souza, de 19 anos, também está internada na UTI do hospital e, de acordo com sua mãe, a doméstica Maria das Neves, de 49 anos, ela sofreu escoriações no rosto e segue em observação. "O susto foi grande. Cheguei em casa e recebi a notícia que ela estava no hospital. Minhas pernas ficaram moles. Ela está bem machucada, mas não sofre nenhum risco. Está com a bacia doendo muito e o rosto inchado. Graças a Deus não aconteceu o pior."

Ao todo, oito pessoas ficaram feridas após a trava de segurança do brinquedo se abrir em plena operação e parte dos ocupantes ser arremessada de uma altura de sete metros. Dez viaturas dos bombeiros foram enviadas para prestar socorro às vítimas.

AE
Funcionários da Polícia Científica realizam perícia no brinquedo Double Shock, no Playcenter

Investigações

O perito criminal José Manuel Dias Alves, responsável pelos trabalhos de apuração das causas do acidente ocorrido no brinquedo Double Shock, no Playcenter, no dia 3 de abril, esteve no parque por volta das 11 horas desta segunda-feira para dar início aos trabalhos da perícia. O resultado oficial deve sair em 30 dias.

O Playcenter informou em nota que está contribuindo com as investigações e que não medirá esforços para esclarecer o episódio. Também na manhã de hoje, por volta das 9 horas, os três operadores que estavam no comando do brinquedo, no momento do acidente, prestaram depoimento no 23º Distrito Policial.

O parque reforçou que, embora este seja o segundo acidente em pouco mais de seis meses , este equipamento e os demais contam com manutenção diária e operam dentro das normas nacionais e internacionais.

Outro acidente

Este foi o segundo acidente no local em pouco mais de seis meses. Em setembro do ano passado, o choque entre dois carros de montanha-russa no Playcenter deixou 16 pessoas feridas. Com sangramentos no nariz e escoriações na cabeça, vítimas foram levadas ao Hospital Metropolitano, na Lapa, zona oeste.

Peritos do Instituto de Criminalística (IC) constataram que a batida não foi causada por pane nos veículos, mas por um problema nos freios.

    Leia tudo sobre: acidenteplaycentervítimassão paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG