"Não se pode tratar a USP como se fosse a cracolândia", diz Haddad

O ministro de Educação ainda condenou a invasão da reitoria da universidade e que estudantes criaram "fato político" sem produzir os "efeitos desejados"

iG São Paulo |

Pela primeira vez, o ministro da Educação, Fernando Haddad, se manifestou sobre a invasão da reitoria da Universidade de São Paulo (USP) . Nesta terça-feira, Haddad afirmou que "não se pode tratar a USP como se fosse a cracolândia; nem a cracolândia como se fosse a USP". Além disso, o ministro condenou o movimento de estudantes envolvido na invasão. As declarações foram dadas durante vistoria ao antigo Hospital Psiquiátrico do Juqueri, que deverá sediar o novo câmpus da UFSCar na cidade de Franco da Rocha, em São Paulo.

Leia também: Estudantes presos na USP são indiciados e terão que pagar fiança

AE
Tropa de Choque durante processo de reintegração de posse na USP nesta terça-feira

Para o ministro, a universidade não pode ser tratada como se fosse a cracolândia, região do centro de São Paulo conhecida pela presença de usuários de crack. "Nós precisamos compreender que é preciso, tratando-se de um câmpus universitário, ter todo o cuidado na interação com a comunidade universitária, seja com alunos, professores ou funcionários."

O ministro lembrou ainda que esse tipo de manifestação não vem ocorrendo apenas na USP. Os jovens envolvidos na invasão da reitoria, retirados nesta madrugada pela Tropa de Choque, acabaram criando "um fato político" mas sem produzir os "efeitos desejados". "Eu entendo que esse expediente de invadir reitoria, além de ser autoritário é ineficaz, não produz bons resultados em nenhum lugar", afirmou.

*com AE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG