"Não é totalmente seguro, mas não tenho medo", diz moradora

Cetesb confirma presença de gás metano em conjunto habitacional próximo ao Center Norte, mas afirma que não há risco de explosão

Fernanda Simas, iG São Paulo |

O conjunto habitacional Cingapura Zaki Narchi, localizado na zona norte de São Paulo, próximo ao shopping Center Norte, também está contaminado com gás metano, de acordo com medições da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). Atualmente vivem no local quase três mil pessoas e alguns moradores afirmam que diariamente equipes realizam medições. “Eles vieram aqui um dia, abriram uma caixinha de metal que tem no chão aqui do pátio, mediram e agora voltam todo dia”, conta Sara Barbosa, moradora do Cingapura desde a sua construção, em 1995.

Leia também: Após vistoria, Center Norte pode abrir novamente

O diretor de controle e licenciamento ambiental da Cetesb, Geraldo do Amaral Filho, afirma que a área está sendo monitorada desde 2009 e que no momento não há o risco de explosão. “Lá existem áreas abertas com muita ventilação, tem espaços permeáveis que permitem a saída do metano e para o ambiente e não para espaços confinados, o que diminui os riscos”, explica. Nesta quinta-feira, a Prefeitura enviou ao Ministério Público um cronograma de monitoramento e providências a serem tomadas sobre a presença do gás no local.

AE
Prédios do projeto Cingapura, que ficam ao lado do Shopping Center Norte

Sara conta que todo dia alguém conversa sobre a existência do gás no Cingapura, mas que não sente medo. “De tanto que ouvi sobre isso, essa noite eu até sonhei que um prédio estava desabando. Não vou dizer que é totalmente seguro, mas não tenho medo não, conheço o lugar que moro, aqui não era o lixão, era tudo mata e rio”, diz, de forma despreocupada.

Cléia, dona de um pequeno trailer que usa como lanchonete, está no local há quase um ano e explica que vê funcionários da Cetesb fazendo medições, mas não entende exatamente o que está acontecendo. “Ninguém sabe ao certo, eles medem todo dia, mas ninguém fala nada para a gente então a rotina continua a mesma.”

Risco de explosão

Durante vistoria realizada nesta quinta-feira no shopping Center Norte, que instalou novos drenos para a vazão de gás metano depois de o estabelecimento ser fechado devido ao risco de explosão, constatado pela Cetesb, o prefeito Gilberto Kassab afirmou que, se houver o mesmo risco no conjunto habitacional, a prefeitura pode pedir a interdição do local. “No momento que a Cetesb indicar que a área oferece o mesmo risco que oferecia o shopping a Prefeitura, mesmo com dor no coração, não vai titubear em interditar o local, encaminhando as famílias para locais adequados.”

Sobre a diferença de riscos existentes no Center Norte e no Cingapura, Amaral Filho explica que o “risco potencial” implica na existência de gás metano no subsolo e que pode migrar para atmosfera. “Nos dois casos tem isso (risco potencial), mas no shopping existem muitas áreas confinadas, como os depósitos, por exemplo, onde o metano pode ficar retido, criando condição favorável para uma explosão. A quantidade de espaços confinados no Cingapura é infinitamente menor”, detalha.

A Secretaria Municipal de Habitação informou, em nota, que propôs a instalação de 20 drenos no local que serviriam para extrair o gás do subsolo impedindo a entrada de vapores nos apartamentos, onde, de acordo com a Cesteb, ainda não foi detectada a presença do gás. Além disso, o documento explica que o gás metano se formou no local a partir da decomposição do material orgânico aterrado na década de 1960.

    Leia tudo sobre: cingapuragás metanoexplosãomoradoressão paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG