Nada mais importa, diz tio de criança morta em escola de Embu

Menino de 9 anos foi baleado a queima roupa dentro de sala de aula do Colégio Adventista

Lectícia Maggi, iG São Paulo |

"Estou sem rumo. Nada mais importa." Foi com estas palavras que Hélvio Eduardo Paiva definiu a perda com a morte do sobrinho e afilhado Miguel Cestari Ricci dos Santos, de 9 anos. O menino morreu nesta quarta-feira na sala de aula do Colégio Adventista, localizado na Chácara Lídia em Embu, Grande São Paulo, atingido por uma bala calibre 38 . O corpo do estudante foi enterrado às 16h30 no Cemitério São Paulo, na zona oeste da capital paulista.

Ale Cabral/ Futura Press
A mãe de Miguel é amparada durante o enterro nesta quinta-feira em São Paulo
A polícia está investigando o crime. A arma ainda não foi localizada e não há ainda informações sobre quem atirou. Sobre a investigação de quem teria atirado na criança, Hélvio diz que não está pensando nisso no momento. “Nada vai trazer meu sobrinho de volta. Não dá para expressar em palavras. Quantificar ou qualificar. Destruiu a nossa família."

nullAntes do início do enterro, duas tias por parte de mãe de Miguel cobraram explicações sobre o crime. Rosa Ricci queria saber por que o sobrinho não foi socorrido para um hospital mais próximo, já que o Family Hospital fica em outra cidade, Taboão da Serra.

“Foi negligência do colégio”, disse ela, acrescentando que a família não quer vingança, mas quer justiça. “Se fosse socorrido pelo resgate, ele estaria vivo” acrescentou Danielle Passos, também tia.

Danielle também questionou como uma criança entra armada na escola e como saiu, após o disparo, sem que ninguém visse. “O sentimento é de revolta. Eles (escola) ainda não falaram, talvez porque não querem ou porque não podem. Estou inconsolável, não tem outra palavra”.

    Leia tudo sobre: tirocriançamorteescola

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG