Mulher é presa após jogar álcool e atear fogo no filho de 10 anos em São Paulo

Mãe disse à polícia que queria que a criança desligasse a televisão e fosse dormir; garoto segue internado com queimaduras em toda a parte frontal do corpo

iG São Paulo |

Uma mulher foi detida pela Polícia Militar depois de jogar álcool e atear fogo no prório filho, de 10 anos, na Vila Esperança, na zona leste de São Paulo. Segundo a Polícia Militar, Sandra Gomes Bacelar, de 35 anos, afirmou que queria que a criança desligasse a televisão e fosse dormir. O crime ocorreu na Rua Montes Áureos, altura do número 196, na noite de segunda-feira.

Leia também: Mãe é acusada de matar a filha afogada em Minas Gerais

AE
Sandra Gomes Bacelar, de 35 anos, é detida após jogar álcool e atear fogo no próprio filho, em SP

Segundo a PM, a vítima estava em seu quarto, deitado na cama, quando a mãe jogou álcool sobre ele. Sandra, então, o teria arrastado até o banheiro da casa e ateado fogo no filho. A embalagem do álcool e as roupas da criança foram encontradas no lixo da rua. Sandra mostrava claros sinais de embriaguez quando foi presa, segundo os policiais.

Os agentes militares afirmaram que a polícia recebeu aviso de testemunhas sobre gritos e possível de briga de casal. Quando chegaram na casa, Ubiraci Uchoa Vieira, de 39 anos, padrasto do garoto, estava com ele e sua irmã, de 3 anos, dentro de um carro, modelo Agile.

O padrastro disse à polícia que, no momento do crime, dormia ao lado da menina de 3 anos, que é sua filha. Após o ocorrido, ele afirmou ter colocado as crianças no carro para levar o menino ao hospital da região. A criança sofreu queimaduras em toda a parte frontal do corpo, rosto, tronco e membros, além das vias respiratórias. Ele permanecia entubado no hospital, em estado grave.

O caso foi registrado no 24º DP, Ermelino Matarazzo, onde Sandra permanece detida. Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP), Sandra responderá por turtura e tentativa de homicídio simples (doloso, quando há intenção de matar). Ela deve ser transferida ainda hoje para um Centro de Detenção Provisória (CDP).

    Leia tudo sobre: agressãoviolênciamãe presa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG