MP recebe denúncia contra delegado que teria agredido cadeirante

Delegado é acusado de agredir cadeirante após discussão por causa de uma vaga de estacionamento para deficientes físicos em SP

AE |

selo

Nilton Cardin / Futura Press
Anatole Magalhães Macedo Morandini afirma que foi agredido com coronhadas pelo delegado
O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) recebeu nesta quarta-feira o inquérito da Corregedoria da Polícia Civil sobre a agressão sofrida pelo cadeirante Anatole Magalhães Macedo Morandini, no último dia 17, em São José dos Campos. O delegado Damásio Marino é acusado de agredir o cadeirante após uma discussão por causa de uma vaga de estacionamento exclusiva para deficientes físicos. 

Segundo o MP-SP, o promotor Flávio Albernaz, da 5ª Promotoria de Justiça Criminal, já recebeu o inquérito. Ele tem até 15 dias para decidir se apresenta ou não denúncia contra o delegado. Marino pode responder por lesão corporal dolosa. 

A Secretaria de Segurança Pública informou que o laudo do Instituto Médico Legal (IML) aponta que o advogado sofreu lesões no lado esquerdo da cabeça, dos olhos e lábio superior. De acordo com o laudo, as lesões foram causadas por objeto contundente, mas não foi especificado qual objeto poderia ter causado os ferimentos. Morandini, que é advogado, afirmou que foi agredido com uma arma. Testemunhas também confirmam a versão do advogado.

    Leia tudo sobre: ministério públicodelegadoagressor

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG