Aluno de 10 anos atirou na professora dentro da sala de aula e, em seguida, se matou. Professora está internada

O Ministéiro Público acompanha as investigações do caso em que um menino de 10 anos atirou na professora e se matou em seguida. O promotor de Justiça Criminal de São Caetano do Sul, Newton José de Oliveira Dantas, foi designado pela Procuradoria-Geral de Justiça, na sexta-feira (23), para acompanhar as investigações.

Na quinta-feira (22), D.M.N., que cursava o 4º ano, atirou na professora Rosileide Queiros de Oliveira, 38 anos, dentro da sala de aula da escola municipal Professora Alcina Dantas Feijão e, em seguida, saiu da sala e disparou um tiro na própria cabeça. A arma usada no crime está registrada no nome do pai do aluno, o guarda civil metropolitano Miton Nogueira, e não pertencia à corporação policial

O aluno e a professora foram socorridos com vida. Ele foi atendido no hospital de Emergência Albert Sabin, mas teve duas paradas cardíacas e morreu. A professora continua internada no Hospital das Clínicas, em São Paulo. Seu estado é estável, ela passou por uma cirurgia e está na enfermaria. Na sexta, foi constatada uma fratura na patela do joelho esquerdo, que pode ter sido causada durante sua queda após o tiro.

Investigações

A delegada Lucy Mastellini Fernandes, do 3º Distrito Policial de São Caetano investiga o caso e já começou a ouvir o corpo docente da escola. A família do aluno deve ser ouvida essa semana, assim como a professora Rosileide.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.