Motos atendem a 25% dos resgates do Samu em SP

Socorro é feito por policiais do Corpo de Bombeiros que, nos dias de folga, prestam serviços à Prefeitura

AE |

selo

Apenas um mês após o início da parceria entre o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e o Corpo de Bombeiros, em São Paulo, um em cada quatro atendimentos do serviço de emergência é realizado por homens da corporação. Segundo o Samu, das 1.157 ocorrências de março, 294 (ou 25,4%) foram feitas por bombeiros, que atuam em duplas pilotando motos do Samu.

As motocicletas são equipadas com acessórios de primeiros socorros como desfibrilador, tubo de oxigênio e medidor de pressão, entre outros. Atualmente são quatro duplas de bombeiros por turno de serviço.

A atuação do Corpo de Bombeiros com as chamadas "motolâncias" ocorreu após o órgão passar a integrar a Atividade Delegada, em que policiais militares nos dias de folga prestam serviços para a Prefeitura de São Paulo. Pelo acordo, os militares que aderiram ao "bico oficial" passaram a prestar os primeiros socorros em chamados feitos para o Samu.

Pelo bico legalizado, os bombeiros recebem da prefeitura cerca de R$ 12 por hora trabalhada. O plantão é de 12 horas e não pode ultrapassar 12 dias no mês. Hoje, 120 homens da corporação estão capacitados para o serviço.

A parceria, segundo o coordenador do Samu, Paulo Kron, tem como objetivo reduzir o tempo de atendimento e, por consequência, a mortalidade precoce das vítimas (quando o óbito ocorre até seis horas após a chegada dos socorristas). "Em média, as motos chegam ao local da ocorrência em 7 minutos e meio, metade do tempo de uma ambulância", explicou. As informações são do Jornal da Tarde.

    Leia tudo sobre: motossamuatendimento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG