Motoristas seguem parados mesmo após acordo em São Paulo

Pelo menos 200 ônibus da Viação Himalaia, que atendem 20 linhas, mantêm greve na zona leste da capital

AE |

selo

Os cerca de mil funcionários da Viação Himalaia, que opera 20 linhas de ônibus que ligam a zona leste ao centro da capital paulista, seguem parados, mesmo com a aceitação dos sindicatos que representam a classe ao acordo proposto pela empresa. Para voltar com ao trabalho, os funcionários aguardam o fim de uma assembleia coletiva que ocorre no final da tarde desta terça-feira, na garagem da empresa.

Os quase 800 motoristas e cobradores, além de funcionários da área administrativa e manutenção da empresa, paralisaram suas atividades durante a madrugada , por falta de pagamento de direitos trabalhistas, e a frota de cerca de 200 veículos ficou parada na garagem, em Sapopemba, zona leste.

AE
Garagem da viação Himalaia, localizada em Sapopemba, na zona leste, lotada nesta manhã de terça-feira

Após uma primeira reunião entre representantes da empresa e dos funcionários, o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo (Spurbanuss), que intermediou o encontro, divulgou uma nota, afirmando que ficou decidido que não haverá alteração nos contratos de trabalhos dos empregados da Viação Himalaia. 

O comunicado informou ainda que os funcionários que se sentirem insatisfeitos com a mudança societária da empresa e, consequentemente, com a mudança na gestão administrativa, terão seus contratos de trabalho rescindidos e vão receber o pagamento devido. Além disso, segundo a nota do sindicato, as mudanças de gestão serão analisadas em reuniões periódicas, com a participação dos trabalhadores.

    Leia tudo sobre: ônibusgreveparalisação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG