Proposta de reajuste oferecida pelos donos das empresas foi aceita pelos dirigentes do sindicato. Nova assembleia está marcada para hoje

selo

Após reunião entre dirigentes do Sindicato dos Motoristas de Ônibus de São Paulo e o setor patronal, na noite desta terça-feira, os trabalhadores resolveram pôr fim à paralisação iniciada as 12 horas. Os dirigentes do sindicato defenderão, em reunião às 16 horas de hoje, as propostas de melhorias apresentadas pelos donos das empresas de ônibus.

Segundo a assessoria do sindicato, o setor patronal ofereceu aumento salarial de 8%, vale-refeição de R$ 13, plano de cargos e salários para os funcionários de manutenção, adicional insalubridade para motoristas, a ser pago a partir de fevereiro de 2012 e bônus de R$ 250 para os motoristas de veículos biarticulados que trabalham sem um cobrador.

As atividades foram suspensas em cerca de 32 garagens de ônibus em São Paulo. Segundo o Sindicato dos Motoristas, aproximadamente dois mil ônibus, ou 1/4 da frota, não voltaram a circular no horário de pico da tarde.

Eles calculam que cerca de 1,5 milhão de passageiros tenham sido afetados. Já a SPTrans afirmou que 1.200 carros não operaram e que nenhum usuário foi afetado, uma vez que todas as linhas estavam funcionando, apenas com intervalos maiores entre um veículo e outro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.