Motorista de Porsche que matou advogada continua internado

A advogada trafegava com o carro Tucson no sábado quando foi atingida pelo Porsche, que segundo testemunhas estava a 150 km/h

AE |

selo

O engenheiro Marcelo Malvio de Lima, de 36 anos, continua internado no Hospital São Luiz, em São Paulo. Ele foi preso em flagrante no sábado (9), após colidir seu Porsche em alta velocidade com o Tucson da advogada Carolina Menezes Cintra Santos, que morreu na hora. Lima foi indiciado por homicídio doloso (quando há intenção de matar) .

AE
Acidente entre Porsche e Tucson, na rua Tabapuã, no bairro Itaim Bibi
O Hospital São Luiz confirma que Lima continua internado, só não pode dar mais detalhes sobre seu quadro de saúde, a pedido da família. Segundo o delegado Paul Henry Bozon Verduraz, titular do 15º Distrito Policial, no Itaim Bibi, o engenheiro está no hospital, mas preso sob escolta policial.

O delegado afirmou estar esperando decisão judicial sobre a manutenção ou não da prisão. "A prisão em flagrante de Marcelo foi comunicada ao juiz e estamos aguardando para saber se ele irá continuar preso ou será libertado mediante o pagamento da fiança de R$ 300 mil", disse o delegado.

Por volta das 3h de sábado, a advogada baiana Carolina Menezes Santos, de 28, transitava com o automóvel Tucson no cruzamento da Rua Tabapuã com a Rua Bandeira Paulista, em direção à Avenida Nove de Julho. Seu carro colidiu pelo Porsche conduzido por Lima, foi arremessado a mais de 25 metros de distância e acabou prensado em um poste. Depoimentos atestam que a velocidade do Porsche no momento do impacto era de mais de 150 km/h, segundo a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. O limite da via é de 60 km/h.

    Leia tudo sobre: acidente porschetucsonhomicídio doloso

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG