Mortalidade infantil em São Paulo cai 61,8% em 20 anos

Os municípios com as taxas mais elevadas são Avaré, São Roque, Ibiúna, Guarujá, São Vicente e Itapeva

AE |

selo

O índice de mortalidade infantil no Estado de São Paulo caiu para 11,9 mortes de crianças menores de um ano de idade a cada mil nascidas vivas em 2010, ante 12,5 registradas em 2009. De acordo com levantamento realizado pela Secretaria da Saúde, em parceria com a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), o índice é o menor da história para o Estado. Em 20 anos, a redução foi de 61,8% - o índice era de 31,2 em 1990. Os números foram anunciados nesta manhã pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB).

O município de Barretos registrou o menor índice do Estado, com 7,2 mortes por mil nascidos vivos, seguido por São José do Rio Preto, com 7,3, e São Carlos, com 7,4 mortes. Os municípios com as taxas mais elevadas em 2010 foram Avaré, com 21,8 mortes por mil nascidos vivos; São Roque, com 20,8; Ibiúna, com 19,4; Guarujá, com 19,2; São Vicente, 19,1; e Itapeva, 19.

Dos 645 municípios do Estado, 301 tiveram em 2010 índice inferior a 10 mortes por grupo de mil nascidos vivos. Para a secretaria, números abaixo de 10 podem ser comparados a índices de países desenvolvidos. As regiões de Franca e Baixada Santista tiveram as maiores reduções de 2009 para 2010. Franca conseguiu reduzir 28,7% e a Baixada, 19,6%.

O governo justifica a queda no índice no Estado citando vários fatores, como o aprimoramento da assistência ao parto e à gestante, ampliação do acesso a consultas pré-natais, expansão do saneamento básico e vacinação em massa de crianças pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

    Leia tudo sobre: mortalidade infantil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG