Moradores do Vale do Ribeira voltam para casa

Temporal no domingo e na segunda-feira atingiu a cabeceira do Rio Ribeira, provocando alagamentos em várias cidades

AE |

selo

Os moradores da região do Vale do Ribeira, em São Paulo, começam a voltar para suas casas após os alagamentos causados pelas chuvas que atingiu a região entre domingo e a última segunda-feira. O temporal atingiu a cabeceira do Rio Ribeira, provocando alagamentos nos municípios de Barra do Turvo, Eldorado, Iporanga, Jacupiranga, Registro, Pariquera-Açu, Sete Barras e Iguape, no litoral sul de São Paulo.

Segundo a Defesa Civil, os moradores de Barra do Turvo já estão retornando às suas casas e os serviços de água, luz, telefonia e transporte público foram restabelecidos.

AE
Vista de Iguape (SP) onde, em consequência da chuva, uma grande quantidade de troncos e galhos do Rio Ribeira fica presa na barragem do Valo Grande
Em Eldorado, que decretou Estado de Calamidade Pública, o nível do Rio Ribeira está retornando ao seu leito normal e as 1.500 pessoas desabrigadas estão sendo abrigadas no Centro Comunitário, nas Escolas Dr. Jayme A. Paiva e Lilian Viana Muniz, no salão paroquial da Igreja Matriz e num galpão no Distrito Indústria.

Cerca de 95% da energia elétrica foi restabelecida, assim como o abastecimento de água e as telefonias móvel e fixa foram restabelecida. Cerca de sete mil desalojados foram para casas de parentes e vizinhos. Na cidade, 14.600 pessoas foram afetadas e 80% da produção agrícola foi atingida.

Em Iporanga, que também decretou Estado de Calamidade Pública, 50 pessoas estão desabrigadas e 1.250 foram afetadas. Duas comunidades quilombolas estão isoladas. Houve danos em pontes e na balsa. Em Jacupiranga, os desalojados voltaram para casa e os serviços de água, luz, telefonia e transporte público foram restabelecidos. Foi decretada situação de emergência.

As 608 pessoas desabrigadas em Registro estão sendo abrigadas no Ginásio Mário Covas e nos dois Centros Comunitários, Salão Paroquial Nosso Teto, Escolas municipais Ana Pinto, Alberto Bertelli, João Pocci, Nicéia Hirota e Francisco Manoel. As 210 pessoas desalojadas foram para casas de parentes e vizinhos. Os serviços de água (poços) e luz foram parcialmente afetados na zona rural.

Em Pariquera-Açu, 80 pessoas ficaram desalojadas e o fornecimento de energia elétrica foi parcialmente normalizado. As 182 pessoas desabrigadas em Sete Barras estão sendo abrigadas no Ginásio Nelson Venâncio de Souza e as 3.018 pessoas desalojadas foram para casas de parentes e vizinhos. No total, 3.220 foram afetadas. Sete bairros da zona rural foram afetados e estão sem os serviços de água e energia, telefone normalizado.

Em Iguape, 1.900 pessoas foram afetadas. Deste total, 49 pessoas ficaram desabrigadas e 280 moradores dos bairros rurais Peropava, Momuna, Baicô, Bocuí, Jipovura e Jairê estão desalojados. Existem famílias isoladas nos bairros rurais Bocuí e Jipovura. Os bairros urbanos parcialmente afetados são Chácara Patrícia, Rocio e Porto do Ribeira. A prefeitura decretou Situação de Emergência.

Até o momento, cinco pessoas estão desabrigadas em Itapirapuã Paulista, devido à interdição de uma casa. Eles foram para casas de parentes. Luz, água e telefone estão normais. Os acessos aos municípios de Ribeira, Cerro Azul e Doutor Ulisses, no Paraná, estão interditados, sendo que o único acesso é ao município de Bom Sucesso de Itararé, através de uma estrada vicinal.

Em Ribeira, os serviços de luz, água e telefonia foram restabelecidos. Os acessos ao município foram desinterditados. Foi decretado estado de calamidade pública.

    Leia tudo sobre: chuvavale do ribeira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG