Metroviários de São Paulo ameaçam parar na próxima quarta-feira

Categoria protesta contra a proposta de redução de até 7,21% na Participação nos Resultados da empresa

Valor Online |

Os trabalhadores metroviários em São Paulo poderão paralisar suas atividades na próxima quarta-feira, dia 29, após a assembleia que será realizada no dia anterior, de acordo com o Sindicato dos Metroviários de São Paulo.

Leia também: Sindicato descarta greve de ônibus em São Paulo

A categoria protesta contra a proposta de redução de até 7,21% na Participação nos Resultados (PR) da empresa. O motivo alegado pela empresa para cortar a PR é o resultado de uma pesquisa de satisfação feita com usuários do Metrô, segundo a qual houve queda de 84% para 74% no número de usuários que consideram o serviço excelente ou bom.

Para Altino de Melo, presidente do sindicato, a insatisfação dos usuários decorre da superlotação dos trens, aumentos das tarifas e número reduzido de linhas. "Os responsáveis pelo descontentamento dos usuários são o governo estadual e a direção da Metrô, que não investem na expansão do sistema metroferroviário".

Os metroviários calculam a PR a partir de uma parcela fixa de R$ 3.062,21, que é somada a 40% do salário nominal de cada trabalhador. Inicialmente, o Metrô propôs corte de 7,21%.

Nesta quinta-feira, a empresa enviou nova proposta ao Sindicato dos Metroviários de São Paulo, propondo o pagamento do valor mínimo de R$ 3.900 como PR. No entanto, a participação nos resultados dos trabalhadores que recebem mais que o salário mínimo continuaria sendo reduzida em 7,21%. A proposta patronal foi rejeitada em assembleia.

A categoria agora pede que a parcela fixa seja mantida no valor mínimo de R$ 3.900 e que apenas a parte variável da PR (40% do salário nominal) sofra a redução de 7,21%.

    Leia tudo sobre: grevemetrometroviáriosparalisação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG