Metrô de SP começa a cobrar tarifa da Linha 4- Amarela

Inaugurada no dia 25 de maio, Linha 4-Amarela começa operação comercial nesta segunda-feira

iG São Paulo |

A partir desta segunda-feira, os passageiros terão de pagar a tarifa de R$ 2,65 para usar a Linha 4 - Amarela do Metrô. A linha opera por enquanto com duas estações - Faria Lima, na zona oeste, e Paulista, na região central da capital. O horário de funcionamento ainda é o mesmo, apenas das 9h às 15h.

A mudança, conforme informações da concessionária Via Quatro, é que agora é possível fazer a transferência da Linha 4 para a Linha 2 - Verde, entre as estações Paulista e Consolação, sem ter de sair das dependências do Metrô e sem a necessidade de pagar outra tarifa.

Até a semana passada, o usuário que desembarcava na Estação Paulista era obrigado a pagar para acessar a Linha 2 e a rede da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Os bilhetes aceitos nas demais linhas do Metrô e da CPTM podem ser usados na Linha 4.

Modernidade sem banheiro

Com 3,6 km de extensão, a Linha 4 é a mais moderna do País. Entre as novidades tecnológicas, está o serviço de internet sem fio de alta velocidade e os trens automáticos, sem condutores. Outra solução inédita é o equipamento que permite regular o consumo de energia, evitando desperdício. Além disso, o sistema de frenagem produz energia elétrica, que é guardada e utilizada pela própria composição.

Os trens andam em sistema carrossel, no qual todos seguem na mesma velocidade e o ajuste da frota é feito de acordo com a demanda de tráfego. Assim, nos horários de pico, o tempo de espera poderá diminuir dos programados 90 segundos para até 75 segundos.

Ao contrário do existente hoje nas outras linhas, os novos trens não têm vagões separados e são formados por um corpo interligado por "portas de salão". Dentro, o usuário tem ar-condicionado e som ambiente, além de quatro câmeras de vigilância em cada um dos vagões. Além da internet, podem utilizar celulares, como nas outras linhas do Metrô.

Aesar de toda modernidade, as novas estações não têm banheiros públicos. "Depois da obra, tudo é fácil. Os banheiros não estavam previstos nos projetos porque ele têm mais de uma década", afirmou o governador Alberto Goldman no dia da entrega da Linha.

Parceria Público-Privada

Essa é a primeira linha do País a operar pelo sistema de Parceria Público Privada (PPP). A concessionária ViaQuatro é responsável pela operação e manutenção da linha. De acordo com a Secretaria dos Transportes, a empresa investirá US$ 450 milhões entre sistemas, equipamentos e trens. A princípio, estão disponíveis aos usuários 14 trens. “A parceria é importante porque quando o governo não tem recurso suficiente traz o dinheiro privado”, afirmou Goldman.

Veja imagens da Linha 4 - Amarela

 Acidente provoca congestionamento na Via Dutra

Principais acessos ao centro do Rio apresentam tráfego intenso

 *Com informações da Agência Estado

    Leia tudo sobre: metrôlinha 4-amarela

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG