Marcha da Maconha lança campanha para arrecadar dinheiro para divulgação

Campanha na internet busca angariar R$ 15 mil que seria utilizado na divulgação da Marcha, marcada para o dia 19 de maio em SP

AE |

selo

A Marcha da Maconha de São Paulo, movimento que defende a legalização da erva, lançou uma campanha de arrecadação de recursos por meio da internet para conseguir R$ 15 mil até o dia 1 de maio. O dinheiro será utilizado para a divulgação da Marcha, que será realizada no dia 19 de maio, com saída prevista do Masp, na avenida Paulista. Haverá ainda debate sobre a descriminalização das drogas. O movimento foi realizado em 20 cidades no ano passado.

Confusão em 2011: PM ataca manifestantes depois de liberar marcha em Sâo Paulo

AE
Polícia usa balas de borracha e bombas de gás para conter manifestantes em 2011
A campanha de arrecadação por meio da web é conhecida como crowdfunding e está hospedada no site Catarse . No dia 13 de abril, às 19h, o movimento realiza um debate sobre o Supremo Tribunal Federal e a descriminalização das drogas na Sala dos Estudantes da Faculdade de Direito do Largo São Francisco (USP), com a participação de Pedro Abramovay (ex-secretário nacional de políticas de drogas), José Henrique Torres (juiz criminal, presidente da Associação dos Juízes para a Democracia), Leandro de Castro Gomes (Defensoria Pública) e Pierpaolo Cruz Bottini (professor da USP). 

A Marcha da Maconha é um movimento social autônomo organizado desde 2007 em rede pelo Brasil, de maneira horizontal, sem lideranças e hierarquias. O movimento não é composto apenas por usuários de maconha: assim como os efeitos da proibição afetam toda sociedade, a defesa de mudanças na política de drogas é uma demanda de todos, sejam usuários ou não. 

Em 2012, a expectativa do movimento é que o número de 20 cidades que marcharam pelo país em 2011 seja superado, assim como o total de pessoas marchando. A manifestação na capital paulista terá como mensagem principal a defesa do fim da guerra às drogas: "Basta de guerra - por uma outra política de drogas."

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG