Mais de um criminoso teria participado de morte de advogada

Polícia trabalha com a possibilidade de pelo menos duas pessoas estarem envolvidas em assassinato de Mércia Nakashima

iG São Paulo |

O diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Marco Antônio Desgualdo, afirmou nesta sexta-feira que a polícia acredita que mais de uma pessoa participou do assassinato da advogada Mércia Nakashima, de 28 anos.  

O corpo de Mércia foi localizado na manhã desta sexta-feira , por volta das 10h, boiando em uma represa de Nazaré Paulista, região metropolitana de São Paulo. O cádaver foi localizado por um pescador. Homens do Corpo de Bombeiros de Atibaia já tinham localizado na tarde de quinta-feira o carro da advogada submerso a seis metros na mesma represa.

Futura Press
Irmão da advogada após corpo de Mércia ser localizado em represa de Nazaré Paulista
Segundo Desgualdo, não teria como apenas uma pessoa ter levado o carro para o local. "Temos um homícidio. Quem cometeu o crime teve ajuda porque a região é de difícil acesso. Quem veio aqui conhecia a região", afirmou.

O titular da Delegacia de Pessoas Desaparecidas, Antônio Assunção de Olim, assumiu as investigações. Segundo ele, o ex-namorado da advogada, o  ex-policial militar Mizael Bispo de Souza, de 40 anos, é suspeito. Em depoimento, Souza negou qualquer envolvimento.

O corpo da advogada está no Instituto Médico Legal (IML) Central de São Paulo para exames periciais. O veículo foi levado para a capital paulista e passará por perícia na garagem do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Dentro dele, estavam o celular da advogada, uma jaqueta de couro e papéis de trabalho.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), não há nenhum depoimento previsto.

O caso

Mércia tinha sido vista pela última vez no início da noite do dia 23, no bairro Macedo, em Guarulhos, na casa da avó. Depois que a advogada saiu de lá, não fez mais contato com amigos ou a família. Para a polícia, o ex-policial militar Mizael Bispo de Souza, de 40 anos, está envolvido no caso. Os dois foram sócios e namorados. Ele foi ouvido três vezes pela polícia e negou qualquer participação.

Em entrevista ao iG , a irmã de Mércia, Claudia Nakashima, disse que o namoro dos dois foi marcado por idas e vindas e muitas brigas. Quando estava com ele “Mércia era outra pessoa” . “Ela não podia falar com ninguém, vizinhos do prédio até falam que quando ela estava sozinha no elevador cumprimentava; quando estava com ele, abaixava a cabeça”, diz Cláudia.

No dia do sumiço de Mércia, o advogado diz que foi visitar a filha e um irmão, com quem almoçou e, depois, saiu com uma garota de programa. Um fato que complica a situação de Souza é que o rastreador do carro dele mostrou que das 18h40 às 22h38 ele ficou estacionado em frente ao estacionamento do Hospital Geral de Guarulhos, em uma rua a menos de cinco minutos da casa da avó de Mércia. 

Leia também: Ex chora ao saber da morte de Mércia, diz advogado

    Leia tudo sobre: advogadaMércia Nakashimapolícia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG