Mais da metade dos relógios de rua de São Paulo tem problemas

Segundo empresa que assumiu a administração dos relógios, dos 303 relógios da cidade, 171 apresentam algum tipo de problema

Márcio Apolinário, especial para o iG |

Futura Press
Relógios apagados em São Paulo nesta segunda-feira
Dos 303 relógios espalhados pela cidade de São Paulo, apenas 132 relógios estão funcionando corretamente nesta segunda-feira, após 63 deles terem apresentado problemas técnicos por falta de energia. Os números foram confirmados por Fabrício Guimarães, diretor de marketing da Bulldogue Mídia Exterior, empresa responsável, desde o início de agosto, pela manutenção dos relógios.

Guimarães afirmou que, após a energia ser retomada, parte desses relógios pode voltar a funcionar apresentando problemas, devido a possíveis travamentos nas palhetas que apresentam as horas e a temperatura. “Essas falhas são comuns, e o reparo é relativamente simples. Agora dependemos apenas que a Eletropaulo religue a energia, porque a conta está paga”, explicou Guimarães.

Além da falta de energia, o diretor também afirma que a situação dos equipamentos era crítica quando a empresa assumiu a manutenção. “Antes de assumirmos, a prefeitura havia colocado outra empresa para cuidar dos relógios. Os reparos deveriam ter sido feitos em 140 peças, mas só 100 delas foram entregues em funcionamento. Não contávamos com esse problema, e isso atrasou completamente nosso plano de colocar todos os relógios da cidade para funcionar em até 30 dias”, justificou o diretor.

De acordo com a empresa, entre os 171 equipamentos com problemas, 42 estão completamente quebrados e serão necessários entre 15 e 20 dias para o reparo das peças, e em alguns casos será preciso trocar todo o equipamento. “A previsão é que todos os relógios da cidade estejam funcionamento em no máximo 45 dias”, afirmou Fabrício Guimarães.

    Leia tudo sobre: relógiosmanutençãoquebradosenergia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG