Lixeiros decidem em assembleia se farão greve em São Paulo

Paralisação deve afetar todos os serviços de limpeza urbana da cidade

iG São Paulo |

Os lixeiros da capital paulista decidem, em assembleia na tarde desta segunda-feira, se manterão a greve que está prevista para começar às 6h de terça-feira. Diariamente, a cidade produz cerca de 15 mil toneladas de lixo.

Caso optem por manter a paralisação, os serviços de coleta de lixo domiciliar, varrição de vias públicas, manutenção e serviços complementares serão interrompidos.

iG São Paulo
Lixo se acumula na alça do viaduto de acesso ao Largo da Concórdia, na região do Brás, zona leste

O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação e Limpeza Urbana de São Paulo (Siemaco) afirmam que somente os serviços de coleta de resíduos de saúde (hospitais, clínicas, postos de saúde e farmácias) deverão ser realizados normalmente. Isso porque, segundo o Sindicato, a “intenção não é prejudicar a população”.

A decisão de começar uma greve por tempo indeterminado foi aprovada em assembleia realizada na última quinta-feira, dia 22. A categoria reivindica, principalmente, aumento salarial de 8,71%, redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais e convênio médico gratuito. Conforme o sindicato, o último reajuste da categoria ocorreu em 1º de março de 2009.

Procurada, a Prefeitura de São Paulo informou que ainda não há nenhuma ação emergencial preparada e não se manifestou sobre a greve.

    Leia tudo sobre: lixosão paulogreve

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG