Lindemberg também deve responder por porte de arma

Condenado disse ter comprado o revólver para se defender de ameaçar de morte. Ele não tinha autorização para comprar uma arma

AE |

selo

Lindemberg Alves Fernandes, de 25 anos, condenado na quinta-feira, 16, a quase 100 anos de reclusão pelo assassinato da ex-namorada Eloá Pimentel em Santo André, no ABC, e mais 11 crimes em 2008, poderá responder a um novo processo. Segundo o Ministério Público, ele deverá responder por porte ilegal de arma.

AE
Lindemberg sentado no bando dos réus
Alívio: "Nada vai diminuir minha dor, mas justiça foi feita", diz mãe de Eloá

Em seu depoimento, Lindemberg disse ter comprado o revólver usado no crime por R$ 700 de um homem que conheceu em um parque após receber três ameaças de morte por telefone. Ele não tinha autorização para comprar uma arma. 

O MP solicitou as cópias do processo sobre a morte de Eloá. O material será encaminhado para que um promotor analise a possibilidade de instaurar um novo procedimento. 

O julgamento de Lindemberg durou quatro dias e ele foi condenado a 98 anos e 10 meses de prisão. A sentença foi dada pela juíza Milena Dias. O agressor disse que atirou em Eloá sem querer ao se assustar com a invasão da Polícia Militar no apartamento. Ele está preso na Penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo. 

A advogada do réu, Ana Lúcia Assad, deverá pedir a anulação do júri que condenou Lindemberg. O MP não acredita que o julgamento seja anulado, pois não houve falhas no júri.

Leia também:

Depoimento de Lindemberg: "Quero pedir perdão para a mãe dela"
Lindemberg confessa que matou Eloá e nega tentativas de homicídio

Réu: Lindemberg fica nervoso durante depoimento de amigo de Eloá
Crime: relembre o caso Eloá
Advogado: "Ele tinha intenção de matar"
Mãe: "A Justiça é a condenação dele", afirma mãe de Eloá
Transplante: "Serei eternamente grata por esse gesto de amor"

Defesa:
"Ele é um bom rapaz, ingênuo", diz advogada de Lindemberg
'Para descobrir a verdade não precisa ter pressa', diz defesa de Lindemberg

Depoimentos:
Policial diz que disparo e frases motivaram invasão a apartamento de Eloá
Policiais dizem que PM não usou munição letal na invasão do apartamento de Eloá

Jornalistas dizem que foram orientados a não entrar em contato com Lindemberg
"Eloá era como minha segunda mãe", diz irmão mais novo
"Ele é um monstro, louco e agressivo", diz irmão de Eloá sobre Lindemberg
"Era certo que ele ia matá-la", diz Nayara sobre Lindemberg
Policial: "Eu estou vivo e matei a Eloá", disse Lindemberg ao ser rendido

Imagens:
Veja imagens do julgamento de Lindemberg Alves

Discussões: 
Defesa e promotoria discutem e julgamento do caso Eloá é suspenso
Advogada de Lindemberg afirma que juíza devia "voltar a estudar"
"Me senti humilhada", diz mãe de Eloá após discussão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG