Inaugurado há menos de um ano, prédio funciona das 7h às 19h no bairro Santo Antônio, um dos mais pobres da cidade

selo

A Polícia Civil de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, procura ladrões que na manhã desta quarta-feira invadiram a Delegacia Participativa e levaram armas, munições e uma máquina fotográfica. O material estava guardado na sala de investigação do 4º Distrito Policial, que funciona no mesmo prédio. Até o fim da tarde de hoje, a polícia não havia concluído o levantamento dos produtos roubados, mas já sabia que duas espingardas calibre 12, marca CBC, cartuchos para este tipo de arma e uma máquina fotográfica digital tinham sido levadas. 

Inaugurado há menos de um ano, com objetivo de integrar população e polícia, o prédio, que funciona das 7h às 19h no bairro Santo Antônio, um dos mais pobres da cidade, abriga, além do DP, diversas salas de serviços de atendimento da prefeitura. A polícia informou que os ladrões não concluíram o furto porque o alarme disparou e tiveram de fugir com a chegada de um policial militar por volta das 6 horas. "Por isso é que não levaram mais coisas e não entraram nas outras salas", disse o delegado Humberto Páscoa, assistente da Seccional de Rio Preto. 

No momento do furto, não havia ninguém no prédio, vigiado por um sistema de segurança e diversas câmeras externas e internas. Para entrar, os ladrões arrombaram a caixa de força e desligaram os relógios de eletricidade. Colocaram um saco plástico numa das cinco câmeras externas e arrombaram duas portas até chegar à sala de investigação. "O furto não pôde ser filmado porque, ao interromper o fornecimento de eletricidade do prédio, os ladrões desligaram o provedor que alimenta as câmeras", explicou o delegado. Segundo ele, a polícia tem suspeitos do crime, que deveriam ser interrogados ainda hoje.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.