Marcelo segue internado no Hospital São Luiz. No sábado (9), foi preso após colidir em alta velocidade com Tucson da advogada Carolina Menezes, que morreu na hora

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) concedeu liberdade provisória ao empresário Marcelo Malvio Alves de Lima, de 36 anos, e determinou possibilidade de fiança no valor de R$ 300 mil. O montante já está de acordo com as mudanças no Código de Processo Penal. Segundo TJ-SP, até o momento, não há nos autos a informação confirmando se a fiança já foi paga ou não. Caso Lima não pague poderá ser preso. Ele segue internado no Hospital São Luiz.

Acidente entre Porsche e Tucson, na rua Tabapuã, no bairro Itaim Bibi
AE
Acidente entre Porsche e Tucson, na rua Tabapuã, no bairro Itaim Bibi

Por volta das 3h de sábado, a advogada baiana Carolina Menezes Santos, de 28 anos, transitava com o automóvel Tucson no cruzamento da rua Tabapuã com a rua Bandeira Paulista, em direção à avenida Nove de Julho. Seu carro colidiu pelo Porsche conduzido por Lima, foi arremessado a mais de 25 metros de distância e acabou prensado em um poste. Depoimentos atestam que a velocidade do Porsche no momento do impacto era de mais de 150 km/h, segundo a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. O limite da via é de 60 km/h.

A juíza Ana Carolina Della Latta Camargo Belmudes recebeu na segunda-feira (10) o pedido de liberdade provisória de Lima feito pela defesa. Segundo nota, a decisão da juíza partiu do princípio que "o indiciado é primário e possui ocupação lícita e residência fixa na capital". Além disso, a Justiça determinou que empresário cumpra outras medidas cautelares de restrição de liberdade.

Entre as restrições que devem ser cumpridas por Lima, estão: ficar proibido de frequentar bares e festas, ser obrigado a ficar em casa no período noturno, avisar a Justiça quando deixar o Estado de São Paulo, e não realizar viagens internacionais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.