Justiça decide que julgamento do caso Mércia será em Guarulhos

Tribunal de Justiça cofirma decisão de juiz e mantém eventual julgamento de acusados pela morte de Mércia Nakashima em Guarulhos

iG São Paulo |

O Tribunal de Justiça de São Paulo decidiu, nesta quarta-feira, por dois votos a um, que os acusados pela morte da advogada Mércia Nakashima, Mizael Bispo de Souza e Evandro Bezerra da Silva, devam ser julgados na cidade de Guarulhos, Grande São Paulo, caso sejam mandados a júri popular.

A Justiça já havia decidido que eles fossem julgados na cidade onde a vítima morava. No entanto, a defesa entrou com recurso alegando incompetência do juízo, isso porque o clamor público gerado em Guarulhos impediria, segundo os advogados, que o julgamento fosse isento.

Eles pediram a transferência do caso para Nazaré Paulista, interior do Estado, onde o corpo da advogada foi encontrado, mas o Tribunal de Justiça confirmou a decisão anterior e manteve em Guarulhos.

Segundo o desembargador Breno Guimarães, "o juízo competente para processamento e julgamento do feito é aquele que melhor facilitará a produção de provas, o bom funcionamento da máquina judiciária e a celeridade processual, propiciando, assim, a maior exatidão possível na apuração dos fatos".

Segundo o TJ, o juiz Leandro Bittencourt Cano, que espera o posicionamento do TJ, irá agora decidir se os dois irão a júri. Entre os dias 18 e 21 de outubro, Cano presidiu a audiência de instrução do caso, ouviu testemunhas de defesa e acusação, o delegado Antônio Olim, o perito Renato Pattoli, além dos réus, para formar sua convicção.

Mizael Bispo, ex-namorado da vítima, foi ouvido no dia 21 de outubro e voltou a negar que tenha matado Mércia. Ele atribuiu a acusação do crime a “inimigos”. “ Acho que foi uma armadilha que fizeram pra mim . Quando termina um relacionamento o outro é sempre suspeito. Como não tem outra investigação, fizeram isso”, afirmou. Mizael disse também que confia na Justiça e irá provar sua inocência. “Quando acabar isso vou começar a minha investigação e desmascarar muita gente”.

O vigia Evandro Bezerra da Silva que chegou a confessar participação no crime - dizendo que foi buscar Mizael na represa após ele ter matado a ex - afirmou na audiência que foi torturado por policiais de Sergipe.

Na ocasião, a mãe de Mércia, Janete Nakashima, disse que estava “satisfeita” com a audiência. “Muitas contradições já sabíamos e só vieram a provar o que já sabíamos, que foram eles os assassinos da minha filha”, considerou. "Apesar da dor, de que minha filha não volta mais, eles serão condenados”, opinou, confiante.

ARQUIVO PESSOAL
Mércia (à direita) com a irmã Cláudia. Para a polícia, advogada foi morta pelo ex-namorado Mizael
O crime

Mércia foi vista pela última vez no início da noite do dia 23 de maio, no bairro Macedo, em Guarulhos, na casa da avó. Depois que saiu de lá, não fez mais contato com amigos ou a família.

Mércia e Mizael foram sócios e namorados. Em entrevista ao iG , antes mesmo de saber da morte da irmã, Cláudia Nakashima, disse que o namoro dos dois foi marcado por idas e vindas e muitas brigas. "Quando estava com ele Mércia era outra pessoa. Ela não podia falar com ninguém, vizinhos do prédio até falam que quando ela estava sozinha no elevador cumprimentava; quando estava com ele, abaixava a cabeça”, disse Cláudia.

No dia 11 de junho, um pescador encontrou o corpo de Mércia boiando em uma represa de Nazaré Paulista. No mesmo local, um dia antes, homens do Corpo de Bombeiros de Atibaia já haviam localizado o veículo da vítima, com todos os pertences dela dentro.

O laudo divulgado no dia 20 de julho pelo Instituto Médico Legal (IML) diz que Mércia foi ferida por disparo de arma de fogo no braço esquerdo, na mão direita e no maxilar. Além desses ferimentos, ainda foi atingida no rosto por um outro objeto, que a perícia não conseguiu precisar qual foi. A causa da morte apontada no laudo é afogado. Para a polícia, ela teria sido jogada dentro do carro, ainda com viva, mas desacordada, na lagoa de Nazaré Paulista.

*Com informações da Agência Estado

    Leia tudo sobre: mércia nakashimamizael bispojulgamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG