Justiça de SP manda soltar mães de meninas internadas por roubos

Mães foram detidas nesta quinta-feira sob a acusação de abandono de incapaz

iG São Paulo |

A juíza Maria Fernanda Belli, do Departamento de Inquéritos Policiais e Polícia Judiciária (Dipo), determinou que as quatro mulheres presas na noite de quinta-feira (11), mães de algumas das crianças que aterrorizavam os comerciantes da Vila Mariana, na zona sul de São Paulo, sejam soltas. Elas foram detidas por abandono de incapaz, pelo delegado titular do 36º Distrito Policial, no Paraíso, Márcio de Castro Nilsson.

AE
Mães de meninas suspeitas de realizar arrastões na Vila Mariana
Na manhã desta sexta-feira, as quatro mulheres foram transferidas para a carceragem e transição do 97ºDP, onde aguardavam a transferência para um Centro de Detenção Provisória (CDP), o que estava previsto para ocorrer na segunda-feira.

Para o vice-presidente da Comissão Especial da Criança e do Adolescente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ariel de Castro Alves,  a prisão das mães das é abusiva e faltou bom senso a polícia civil no caso. "É criminalização da pobreza a autoridade policial presumir que as mães dolosamente (intencionalmente) abandonaram seus filhos. É inaceitável que a questão social seja tratada ainda como questão de polícia", divulgou em nota à imprensa.

No começo da tarde de quinta-feira, a Polícia Militar deteve sete meninas agindo na região . A PM recebeu denúncia de que elas estavam furtando uma motorista na rua Professor Noé de Azevedo, esquina com a Lins de Vasconcelos, por volta das 13h30. A intenção era levar o celular da condutora, que estava acompanhada de outra mulher. Moradores de um prédio da região presenciaram a ação e avisaram a polícia.

    Leia tudo sobre: justiça de são pauloarratãomeninasvila mariana

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG