Justiça dá 24 horas para desocupação da reitoria da USP

Após o prazo, juíza autoriza o uso de força policial. Estudantes invadiram o prédio na madrugada de quarta-feira

iG São Paulo |

A Justiça deu um prazo de 24 horas para os invasores da reitoria da Universidade de São Paulo (USP) desocuparem o prédio. Depois disso, força policial poderá ser requisitada. No Faculdade de Filosofia, a direção fez um acordo com os estudantes que saíram pacificamente do local.

A decisão foi da juíza Simone Gomes Rodrigues Casoretti, da 9ª Vara da Fazenda Pública Central. Em seu parecer ela declarou que a reintegração deve "ser realizada sem violência, com a participação de um representante dos ocupantes e da autora, para a melhor solução possível, observando a boa convivência acadêmica, em um clima de paz. Se ultrapassado o prazo sem a desocupação, autorizo, como medida extrema, contando com o bom senso das partes e o empenho na melhoria das condições de vida no ‘campus’, o uso da força policial”.

AE
Estudantes penduram faixa em prédio da reitoria da USP, ocupado durante a madrugada

Em nota divulgada na noite de quarta-feira, membros da reitoria se reuniram e decidiram seguir os passos legais para retomar o prédio da Administração Central. "Importante destacar que, por dever legal, o gestor público tem obrigação de pedir a reintegração de posse do imóvel invadido. O deferimento da reintegração deverá ser analisado pelo juiz. Ressalte-se também que espera-se, entretanto, que a situação se resolva sem que sua execução seja necessária", diz a nota.

O prédio foi invadido após uma assembleia de estudantes decidir pelo cancelamento de outra invasão, no prédio administrativo de Filosofia , na noite de terça-feira. O primeiro ato ocorreu em protesto pela detenção de três estudantes que estariam fumando maconha no estacionamento na quinta-feira.

Na tarde desta quinta-feira, a reitoria divultou as imagens das câmeras instaladas no prédio da reitoria que mostram o momento em que várias pessoas forçam o portão e invadem o local. Veja abaixo:

    Leia tudo sobre: usppolícia militarocupação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG