Justiça considera inimputável agressor de designer em livraria

Crime aconteceu em dezembro de 2009 e designer morreu após professor atacá-lo com um taco de beisebol, em uma livraria, em SP

AE |

selo

O Tribunal de Justiça considerou, nesta segunda-feira, inimputável - incapaz de responder por seus atos - o professor Alessandre Fernando Aleixo, acusado de provocar a morte de Henrique de Carvalho Pereira ao atacá-lo com um taco de beisebol , em uma livraria, nos Jardins, em São Paulo. O crime aconteceu no dia 21 de dezembro de 2009, e Henrique faleceu após passar cerca de dez meses hospitalizado. 

O laudo pericial anexado aos autos do processo concluiu que o acusado é portador de transtorno delirante persistente, o que o torna incapaz de entender que sua conduta representa um crime, e de se guiar segundo esse entendimento. 

De acordo com a sentença proferida pela juíza Carla de Oliveira Pinto Ferrari, da 1ª Vara do Júri de São Paulo, "deve ser o acusado absolvido por ser inimputável, aplicando-se-lhe medida de segurança consistente em internação em hospital de custódia pelo prazo mínimo de um ano, até que seja constatada a cessação de sua periculosidade".

O caso

O designer Henrique Pereira olhava livros da seção de arte da Livraria Cultura do Conjunto Nacional, localizada na avenida Paulista, zona oeste da capital, quando foi atacado inesperadamente com golpes na cabeça. Desde o crime, o jovem passou por cirurgias e seguia em estado grave internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital das Clínicas (HC).

AE
Bonecos confeccionados pelo designer Henrique de Carvalho Pereira ao lado de uma foto de álbum de família tirada antes da agressão (Foto 20/07/2010)

    Leia tudo sobre: tacomortelivraria cultura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG