Júri absolve PMs acusados de matar jovens na Grande SP

PMs eram acusados de participar de grupo de extermínio e de decapitar dois jovens por supostamente estarem ligados ao tráfico

iG São Paulo |

Os policiais militares Jorge Kazuo Takiguti e João Bernardo da Silva foram absolvidos pelo júri popular da acusação de matarem os jovens Roberto Aparecido Ferreira, de 19 anos, o "Maranhão", e Roberth Sandro Campos Gomes, de 20 anos, conhecido como "Bebê", em maio de 2008.

A sentença inocentando os dois foi proferida pelo juiz Antonio Augusto Galvão Hristov, por volta das 23h55, após mais de 14h de julgamento no Fórum de Itapecerica da Serra, na Grande SP. Foram ouvidas dez testemunhas de acusação e nove de defesa.

Os PMs ficaram presos preventivamente por mais de dois anos no presídio Romão Gomes Pinto.

O caso

Segundo informações do Tribunal de Justiça de São Paulo, os dois eram acusados de terem obrigado os jovens a entrarem em uma viatura policial e os levados para Itapecerica da Serra, onde teriam sido assassinados por, possivelmente, estarem envolvidos com o tráfico de drogas. Os corpos foram encontrados sem as mãos e a cabeça.

Conforme o Ministério Público, Takiguti e Silva faziam parte um grupo de extermínio conhecido como "Highlanders", em alusão ao filme de mesmo nome no qual as vítimas eram decapitadas. Os promotores do MP Salmo Mohmari dos Santos Junior e Marcos de Matos, que ofereceram a denúncia, defendem que os PMs "agiram como justiceiros, em atividade típica de grupo de extermínio". O MP pode recorrer da decisão do júri.

Outro acusado, Jonas Santos Bento, que também deveria ter ido a júri popular pelo mesmo crime não foi julgado pois seu advogado não compareceu à sessão alegando problemas de saúde. O julgamento foi marcado para o dia 1º de novembro.

    Leia tudo sobre: júripmsmorte jovensHighlanders

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG