Irmãos suspeitos de matar empresário em São Paulo são presos

Segundo a polícia, jovens de 18 e 20 anos confessaram o crime e disseram que empresário assediou sexualmente um deles

AE |

selo

A polícia prendeu, na quinta-feira, dois irmãos suspeitos pela morte do empresário Ildeu Mendes da Silva, de 39 anos, estrangulado na terça-feira no apartamento dele nos Campos Elísios, região central de São Paulo. Os dois foram surpreendidos dando uma volta no veículo da vítima pela região do Capão Redondo, sem saber que o carro possuía rastreador.

Segundo a polícia, Arthur Azevedo Soares, de 18 anos, e seu irmão, Wuémerson, de 20 anos, confessaram o crime. Eles disseram que conheceram Ildeu na terça-feira no setor de locação de bicicletas do Parque do Ibirapuera.

A vítima teria feito uma oferta de emprego à dupla. Os três foram então ao apartamento de Ildeu, onde também funcionava o escritório da empresa dele, que aluga equipamentos audiovisuais, supostamente para formalizar a oferta de emprego.

No local, segundo os irmãos, Ildeu teria assediado sexualmente Wuémerson, que reagiu verbalmente. Após uma segunda investida, Wuémerson disse que deu uma gravata em Ildeu e o empresário desmaiou. Em seguida, a vítima teve os pés amarrados e o fio do fone de ouvido enrolado no pescoço, segundo o depoimento. De acordo com a polícia, Arthur disse que não estava presente no momento em que seu irmão agrediu Ildeu.

A dupla roubou um notebook, dois celulares, quatro cabos e uma fita de vídeo e fugiu no carro do empresário. No dia seguinte, um funcionário do condomínio achou uma sacola com equipamentos da empresa de Ildeu na escadaria de serviço e tentou avisar o empresário. Mas, como não houve resposta, a polícia foi chamada e encontrou o corpo no apartamento.

Arthur e Wuémerson foram levados ao 77º Distrito Policial (DP), na Santa Cecília, e autuados em flagrante por latrocínio pela delegada plantonista Everli de Abreu. Segundo a polícia, eles devem ser encaminhados nesta sexta-feira a um Centro de Detenção Provisória (CDP) da capital.

    Leia tudo sobre: morteempresáriolatrocínioassédio sexual

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG