Imigrantes terá comboio, diz Polícia Rodoviária

Megaengavetamento ocorrido na rodovia na quinta-feira matou uma pessoa e deixou mais de 50 feridos

AE |

selo

Um dia após o megaengavetamento de veículos que matou um caminhoneiro no sentido São Paulo da Rodovia dos Imigrantes, em São Bernardo do Campo, a Polícia Rodoviária Estadual adotará o uso de viaturas para controlar o fluxo de veículos na subida para a capital paulista. A tática está sendo chamada de "falso comboio".

Nessa operação, carros da polícia tomariam a dianteira dos veículos em movimento e, ao seguirem em baixa velocidade, reduzem as chances de freadas bruscas, o que pode causar acidentes de grande porte em condições de visibilidade reduzida na pista, como o engavetamento que matou o caminhoneiro, anteontem. O "falso comboio" deverá ser empregado sempre que houver acidente ou nevoeiro forte.

A Operação Comboio existente hoje e apoiada pela Ecovias, empresa responsável pelo Sistema Anchieta-Imigrantes, só é feita para descer a serra, no sentido litoral, e tem uma logística diferente: os veículos são parados em um ponto da estrada e partem juntos atrás das viaturas.

"A subida tem outra característica, não tem um ponto de estanque (para segurar os carros) como na descida", diz o comandante de policiamento rodoviário da área, coronel Jean Charles.

A Ecovias nunca fez comboio no sentido da capital paulista e a posição da concessionária é manter a operação somente na descida para o litoral. Na manhã de ontem, o trânsito estava sendo desviado, nos dois sentidos da Imigrantes, para a Rodovia Anchieta, nas proximidades do km 41, local do acidente. Segundo a PM, o trecho tem clima instável. Placas alertam ocorrência frequente de neblina.

Improviso

As três pistas da subida para a capital foram liberadas somente às 11h25 de ontem, 22 horas após o acidente. Em seguida, no local do engavetamento, um comboio liderado por três viaturas da Polícia Rodoviária foi improvisado com dezenas de motos e centenas de carros por volta do meio-dia. Cerca de 15 minutos depois a pista para o litoral também foi aberta.

Em nova contagem, o coronel Charles disse que cerca de 300 automóveis estavam "no bolo" do engavetamento, mas somente 89 veículos sofreram danos. Dos motoristas, 60 já haviam registrado boletim de ocorrência. Ao todo, 29 pessoas ficaram feridas. Duas seguem internadas, em estado grave.

A pista foi lavada duas vezes por causa dos incêndios causados pelo engavetamento. A Ecovias também jogou areia para tirar o óleo acumulado no asfalto.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: rodovia dos imigrantesengavetamentoacidente

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG