Homicídios dolosos diminuem no Estado de São Paulo

Índice dos primeiros oito meses do ano é o menor da história recente do Estado. Ao mesmo tempo, número de latrocínios aumenta

iG São Paulo |

O número de homicídios dolosos (quando há a intenção de matar) registrados nos primeiros oito meses de 2011 é o menor da história recente na capital paulista, Grande São Paulo e no Estado, onde o número caiu de 2.920 para 2.739, ou seja, para uma taxa de 9,86 por 100 mil habitantes.

Em relação ao mesmo período de 2010, foram 181 casos a menos, uma queda de 6,2%. As informações são das Estatísticas Criminais Mensais, contabilizadas pela Coordenadoria de Análise e Planejamento (CAP) da Secretaria da Segurança Pública (SSP). Na cidade de São Paulo houve 674 homicídios dolosos, 157 a menos do que em 2010, uma queda de 18,89%.

Essa é a primeira vez na história recente que o Estado se mantém por tanto tempo com a taxa de homicídios abaixo de 10/100 mil habitantes, sendo que no Brasil a média é de 25/100 mil habitantes. A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera taxas acima de 10/100 mil como epidêmicas.

Ao comparar os dados mensalmente, o número de homícidios dolosos aumentou no Estado, em relação a 2010, pela terceira vez consecutiva. Apenas em agosto deste ano foram registrados 369 casos, contra 334 em 2010. Em julho de 2011 foram 370 homicídios dolosos, contra 304 em 2010 e em junho deste ano foram 308 casos, sendo que em 2010 foram 296.

Latrocínios

No estado de São Paulo, o mês de agosto teve o menor número de latrocínios (roubos seguidos de morte) dos últimos 10 anos. Foram registrados nove casos de roubo seguido de morte em todo o Estado.

Contudo, até o mês de julho, o número de latrocínios aumentava em 16%. Com isso, mesmo com a diminuição de agosto, o crime ainda cresce, sendo uma alta de 7,3% em 2011. Na capital paulista, os latrocínios tiveram queda de 5,08% nos primeiros oito meses do ano, em relação ao mesmo período de 2010.

Sequestros

O número de extorsões mediante sequestro caiu 11,32% no Estado, comparando os meses de janeiro a agosto de 2011 com o mesmo período do ano passado. Foram registrados 47 casos até agosto, contra 53 até agosto de 2010. Na capital paulista, o número de sequestros caiu de 22 para 20 nesses oito meses e, no interior, de 20 para oito casos.

Este é o segundo menor número de sequestros do Estado - houve 35 casos entre janeiro e agosto de 2008. Desde 2002, São Paulo tem uma queda de 81,1% desse crime. Naquele ano, houve 248 sequestros até agosto, contra 47 em 2011.

Roubos de carga

O número de roubos de carga caiu 3,29% no Estado. Foram 4.443 casos até agosto deste ano, contra 4.594 no ano passado, ou seja, 151 casos a menos. A redução mais significativa ocorreu na Grande São Paulo, com 234 casos a menos em relação aos primeiros oito meses de 2010.

Nos 38 municípios da região, ocorreram 908 casos este ano, contra 1.142 até agosto do ano passado. Na capital, houve diminuição de 3,53% nos roubos de carga, com 100 casos a menos.

Tráfico de drogas

Os flagrantes de tráfico de drogas aumentaram 19,26% até o mês de agosto. Foram 23.965 casos flagrados pela polícia, contra 20.095 no mesmo período de 2010, ou seja, 3.870 casos a mais. Nos últimos 10 anos, o número de flagrantes de drogas cresceu 260%.

Prisões

Também aumentou o número de prisões feitas no Estado. Foram feitas 89.058prisões, uma alta de 11,35%, ou 9.080 prisões a mais que em 2010, quando houve 79.978 prisões. Na capital paulista, a quantidade de prisões cresceu 8,05%. Na Grande São Paulo, o aumento foi de 11,76% e no interior, de 12,54%.

Divulgação mensal

Desde março, as estatísticas da criminalidade passaram a ser divulgadas mensalmente, com a intenção de passar um retrato mais fiel da realidade. As estatísticas são utilizadas para o planejamento das polícias e da área de segurança.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG