Cinqüenta agentes, com três viaturas, fiscalizam irregularidades na praia. Esportes só são autorizados após as 19h

selo

Após duas semanas de orientação, agentes da Prefeitura do Guarujá, no litoral de SP, começaram na sgeunda-feira a fiscalizar se as leis que valorizam "a harmonia e a boa convivência nas praias" estão sendo cumpridas. Isso inclui desde observar se comerciantes estão agindo de acordo com suas licenças até monitorar o comportamento dos banhistas que não podem, por exemplo, levar animais domésticos para a areia ou praticar esportes antes das 19h.

"Essa fiscalização é necessária para coibir abusos que são cometidos de todas as formas, tanto por causa dos excessos das pessoas que usam a praia quanto na parte de comercialização", explica o coordenador da Fiscalização de Posturas do Guarujá, Alexandre Couto.

Ao todo, três viaturas e 50 agentes dos setores de Postura, Comércio, Vigilância Sanitária e Meio Ambiente do município vão atuar das 8h às 2h. Outra questão tem a ver com o espaço na areia.

Desde 2008, decisão da Justiça proíbe que guarda-sóis e cadeiras de condomínios e quiosques fiquem montados quando não estiverem sendo usados. "Nesses casos, as multas vão de R$ 200 a R$ 5 mil", diz Couto.

"Isso só contribui para a qualidade dos serviços oferecidos por todos nós", acredita o presidente da Associação do Quiosqueiros do Guarujá, Marcelo Nicolau. "Essa fiscalização ajuda a eliminar quem não está adaptado, para que não haja risco de viroses, como a ocorrida no verão passado por causa de contaminação de alimentos."

Para se aproximar do público, a equipe de fiscalização do Guarujá dispõe de um posto de atendimento 24 horas. Chamado de "sala da situação", o local funciona no mesmo prédio da Secretaria de Turismo, na Praia de Pitangueiras. "É para quem quiser trazer a reclamação pessoalmente", diz Couto. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.