Guarda Civil de Diadema em SP mata jovem por engano

Na garupa de uma moto, Carlos Eduardo Rodrigues foi atingido pela mesma bala que antes atravessou o ombro do colega

AE |

selo

Uma ação da Guarda Civil Municipal de Diadema, na Grande São Paulo, sexta-feira à noite, causou a morte do adolescente Carlos Eduardo Rodrigues, de 17 anos, atingido no pescoço por um tiro disparado pelo guarda Jairo de Souza Cardoso, de 38 anos, no bairro Jardim Campanário.

Na garupa de uma moto, pilotada por João Bosco Pantaleão Júnior, de 19 anos, Carlos foi atingido pela mesma bala que antes atravessou o ombro do colega. Os rapazes trafegavam pela via quando receberam ordem dos guardas municiais para estacionar, pois teriam levantado suspeita. Após pararem o veículo, os jovens foram baleados pelo guarda civil.

Em depoimento no 3º Distrito Policial de Diadema, ao delegado Wagner Camargo Gouveia, o agente municipal disse que, no momento da abordagem, acreditou ter visto um dos rapazes sacar uma arma e por isso atirou. João Bosco foi encaminhado ao pronto-socorro do bairro de Piraporinha e passa bem, mas Carlos Eduardo não resistiu ao ferimento e morreu no local.

Nenhuma arma foi encontrada em poder dos jovens. O guarda civil foi autuado em flagrante e responderá por homicídio doloso.

    Leia tudo sobre: mortetirospolicial

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG