Governo paulista vai investigar policiais acusados de extorsão

Pelo menos 12 policiais civis são acusados de cobrar propina de R$ 3 milhões de traficantes internacionais que seriam presos

iG São Paulo |

A Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo vai apurar a denúncia de que pelo menos 12 policiais do Departamento de Narcóticos (Denarc) e do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) exigiram propinas de traficantes internacionais que atuam no Brasil. A propina teria sido paga para evitar a prisão deles. Depois de reportagem publicada no jornal Folha de S. Paulo nesta sexta-feira, o secretário da Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, determinou a instauração de inquérito policial.

Policiais suspeitos: Promotoria denuncia 22 PMs suspeitos de ligação com o tráfico de drogas

Policiais civis presos: Dois policiais civis são presos suspeitos de extorsão no Rio

Segundo a reportagem, documentos sigilosos do Grupo Especial de Investigações Sensíveis em São Paulo (Gise-SP), da Polícia Federal, os policiais suspeitos teriam recebido dos traficantes dólares, reais, armas e carros, resultando na quantia de R$ 3 milhões. As extorsões teriam ocorrido entre agosto de 2010 e março deste ano para evitar a prisão de quatro criminosos, entre eles João Alves de Oliveira, considerado chefe de uma quadrilha internacional.

Os documentos da PF também apontam, segundo a Folha de S. Paulo, que os traficantes eram mantidos reféns dentro do Denarc e do Deic, sem que houvesse um registro oficial. A PF informou ao jornais que conversas telefônicas e imagens mostram as negociações sendo feitas pelo advogado André Luiz Bicalho Ferreira. Até agora nenhum policial foi preso.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG