Fura-Fila vira abrigo de moradores de rua em São Paulo

Pelo menos sete núcleos de moradores de rua foram montados nos 174 pilares que dão sustentação ao elevado em seus 12 km

AE |

selo

Três anos após a inauguração do Expresso Tiradentes, a parte inferior da via elevada também conhecida como Fura-Fila se tornou ponto de descarte irregular de lixo e entulho e abrigo de moradores de rua. O problema ocorre principalmente nas avenidas das Juntas Provisórias e do Estado. Comerciantes e vizinhos do Ipiranga, na zona sul, e do Cambuci, na região central, reclamam da degradação. 

Pelo menos sete núcleos de moradores de rua foram montados nos 174 pilares que dão sustentação ao elevado em seus 12 km, que ligam o Sacomã, na zona sul, ao centro. Até três moradores dividem um mesmo barraco improvisado no apertado espaço entre a Avenida do Estado e o Rio Tamanduateí. Ao longo das vias, são encontrados lixo, móveis abandonados e material de construção. 

Um dos moradores de rua, Ronaldo Souza, de 26 anos, há quatro meses embaixo do Fura-Fila, diz que o local tem inconvenientes, como a avenida, perigosa por conta de seu movimento, a fumaça e o barulho. No entanto, uma das vantagens é o fato de "não ser incomodado, pois a área não é nobre". 

Segundo a Secretaria Municipal de Assistência Social, visita realizada no último mês encontrou 12 pessoas em situação de rua nas duas avenidas. Uma aceitou tratamento médico e voltou para a casa de um familiar. As outras recusaram-se a ir a um centro de acolhida. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: são pauloexpresso tiradentes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG