Funcionários da Fundação Casa aprovam estado de greve

Trabalhadores pedem 20% de reajuste salarial e dizem que governo do Estado de SP não sentou para negociar

iG São Paulo |

Funcionários da Fundação Casa (antiga Febem) decretaram hoje, após assembleia geral realizada em São Paulo, estado de greve para reivindicar 20% de reajuste salarial. Os servidores cobram também mais segurança no trabalho , plano de cargos e salários, limite de 30 horas para técnicos e enfermagem e adicional de insalubridade.

Uma nova assembléia foi marcada para o próximo dia 28, para definir se haverá greve geral por conta das reivindicações. O anúncio foi feito pelo Sindicato dos Trabalhadores em Entidades de Assistência e Educação à Criança, ao Adolescente e a Família do Estado de São Paulo (Sitraemfa).

De acordo com a entidade, o governo de São Paulo até o momento não sentou para negociar com a categoria, cuja data-base é 1º de março.

Segundo o presidente do sindicato, Julio Alves, os funcionários da Fundação Casa elaboraram uma lista reivindicando melhorias em 55 itens. "Enviamos para o governo e para a fundação em fevereiro, mas ainda não tivemos nenhuma resposta", afirma Alves.

Ele explica que durante o estado de greve os funcionários continuam normalmente o trabalho e ainda não existem manifestações agendadas. "O estado de greve é como um alerta, caso não sejamos procurados para negociar devemos entrar em greve no final do mês", diz.

A assessoria de imprensa da Fundação Casa informou no começo da noite que a direção da entidade está disposta a conversar com os servidores. "Aliás, a Fundação Casa sempre esteve aberta às conversações, mesmo fora de campanhas salariais, para conversar com os sindicalistas", disse a assessoria.

*Com informações da Agência Estado

    Leia tudo sobre: Fundação Casaestado de greve

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG