Famílias acampadas e guardas civis entram em confronto em SP

Cerca de 230 famílias estavam instaladas na Avenida São João, no centro da capital paulista; 7 pessoas ficaram feridas

AE |

selo

As cerca de 230 famílias que estão acampadas na Avenida São João, no centro de São Paulo, entraram em confronto com guardas civis metropolitanos na manhã de hoje. Ao menos sete pessoas ficaram feridas. Segundo o presidente do movimento Frente de Luta Moradia, Osmar Borges, a Guarda Civil Metropolitana (GCM) chegou ao local por volta das 6 horas, para iniciar a retirada das famílias da calçada e seus objetos do local.

Leia também: STF nega  suspensão da desocupação do Pinheirinho

O confronto teve início por volta das 7h30, quando um grupo de mães, que havia saído do local para fazer compras na Ceagesp, retornou e foi impedido de se juntar ao movimento por um cordão de cerca de 300 guardas municipais, de acordo com Borges.

AE
Famílias acampadas e guardas civis metropolitanos, após o confronto na Avenida São João

Para conter o tumulto, os guardas usaram bombas de efeito moral e spray de pimenta, deixando algumas pessoas feridas, entre elas o advogado do movimento, que ficou ferido na cabeça, um morador de rua, que pode ter tido as costelas fraturadas, e algumas das mães. Todos foram levados para a Santa Casa. O confronto terminou depois de mais de uma hora.

Segundo Borges, depois do confronto, ficou determinado que a GCM voltaria no começo da manhã desta segunda-feira para retomar o diálogo para decidir a retirada das famílias.

As 230 famílias estão acampadas na calçada da Avenida São João desde a última sexta-feira, quando foram retiradas de um prédio, na esquina com a Avenida Ipiranga, durante cumprimento de reintegração de posse do imóvel.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG