Família de Mércia Nakashima é perseguida e sofre acidente

Irmão e mãe de advogada dizem terem sido perseguidos por moto. Após crime, advogado diz que coincidências estranhas aconteceram

iG São Paulo |

AE
Márcio (à esquerda) que sofreu acidente em imagem do dia do enterro da irmã
O irmão da advogada Mércia Nakashima, Márcio, e a mãe deles, Janete Nakashima, sofreram um grave acidente de carro na noite de domingo após serem supostamente perseguidos por uma moto.

De acordo com informações do advogado da família, Alexandre de Sá Domingues, os dois voltavam da casa de amigos na cidade de Bom Jesus dos Perdões, próximo à Nazaré Paulista, onde o corpo de Mércia foi localizado no dia 11 de junho de 2010. Na estrada, mesmo trafegando em baixa velocidade, perceberam que eram seguidos por uma moto. "O Márcio viu que o garupa da moto estava com uma arma de fogo, se desesperou e tentou ultrapassar um carro. Como estava chovendo muito, perdeu o controle do veículo e caiu em uma ribanceira", afirma Menezes.

Segundo ele, o veículo despencou de uma altura de 15 metros, chegou a capotar e só parou por causa de uma árvore. Apesar da gravidade, Márcio sofreu apenas escoriações e Janete teve um deslocamento na clavícula. "Eles tiveram sorte que estavam com cinto de segurança e o carro tinha airbag", diz. O caso foi registrado como tentativa de assalto e será investigado.

O advogado tenta evitar fazer ligações diretas do acidente com Mizael Bispo de Souza, policial militar reformado acusado pela morte de Mércia e que está foragido. Menezes ressalta, porém, que "outros fatos aconteceram que o fazem duvidar que sejam apenas coincidências".

Ele afirma que, no último decreto de prisão, o juiz citou mais um incidente estranho ocorrido com a família. "O Márcio era perseguido por um veículo, quando viu uma viatura da PM, freou com tudo e o carro que vinha atrás bateu na traseira dele. Quando os policiais foram abordar, verificaram que se tratava de um policial militar e o serviço apurou que ele já trabalhou no mesmo batalhão do Mizael", diz. "Mais um triste incidente com a família Nakashima, sempre vai haver a dúvida (se há relação com a morte de Mércia e Mizael)", acrescenta.

Arquivo pessoal
Mércia Nakashima (de azul) morreu afogada após ser baleada
O caso

Mizael Bispo de Souza é acusado pela morte da ex-namorada Mércia Nakashima, de 28 anos, e teve a prisão decretada em 7 de dezembro de 2010. Mas, assim como o vigia Evandro Bezerra Silva, tido pela polícia como seu comparsa, está foragido.

Mizael e Mércia eram sócios em um escritório de advocacia e namoraram por cerca de quatro anos. Após o rompimento, Mizael teria ficado inconformado e, segundo a família da vítima, insistia para que reatassem o namoro, passando a perseguí-la. 

Mércia foi vista pela última vez no dia 23 de maio de 2010, no bairro Macedo, em Guarulhos, na casa da avó. Depois que saiu de lá, não fez mais contato com amigos ou a família. No dia 11 de junho, um pescador encontrou o corpo dela boiando em uma represa de Nazaré Paulista, mesmo local onde um dia antes o veículo dela havia sido localizado.

Laudo do Instituto Médico Legal (IML) indica que Mércia foi morreu afogada após ter sido ferida por disparo de arma de fogo no braço esquerdo, na mão direita e no maxilar. Além desses ferimentos, a vítima ainda possuía um ferimento no rosto provocado por um outro objeto contundente que a perícia não soube precisar qual foi.

Mizael foi denunciado por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, emprego de meio cruel e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima) e ocultação de cadáver. Evandro responde pelos mesmos crimes, apenas sem a qualificadora de motivo torpe. A  foto dos dois está na página de foragidos do site da Polícia Civil .

    Leia tudo sobre: morte mérciaacidentemizael bispoforagido

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG