Falsa grávida depõe em Taubaté

Maria Verônica Aparecida Vieira alegou que seu sonho era ter uma filha e que invenção da gravidez devido a problemas psicológicos

AE |

selo

Reprodução TV
Maria Verônica alega problemas psicológicos ao inventar gravidez
A pedagoga Maria Verônica Aparecida Vieira, 25 anos, que ficou conhecida nacionalmente por ter apresentado uma falsa gravidez de quadrigêmeos, depôs na manhã desta sexta-feira, no 2º distrito policial de Taubaté, a 120 km da capital paulista. A situação havia sido desmentida na semana passada.

O advogado da defesa, Enilson de Castro, disse que no depoimento ao delegado José Luiz Miglioli, que durou uma hora, ela teria dito que a invenção da gravidez teria ocorrido em razão de problemas psicológicos e que seu sonho era ter uma filha.

Familiares da "falsa grávida" devem providenciar nesse final de semana a devolução de doações recebidas pela pedagoga antes da farsa ser descoberta. Cerca de R$ 520 que haviam sido recolhidos na Volkswagen, onde trabalha o marido de Maria Verônica, já teriam sido devolvidos.

"Não são milhões como muitos especulavam", disse Castro. As doações feitas pela TV Record, segundo ele, devem ser retiradas ainda nesse sábado na casa da família. "Já as doações que foram feitas por familiares e amigos, no chá de bebê, serão doadas a uma entidade".

Exame: Polícia pede exame para grávida de quadrigêmeos comprovar gestação

Denúncia: Grávida de quadrigêmeos teria copiado ultrassom de blogueira

A farsa de Maria Verônica, que virou celebridade com a falsa gravidez de quadrigêmeos, começou a ser desvendada pelo obstetra Wilson Vieira de Souza , que disse que ela havia realizado exame de ultra-som, sem diagnóstico de gravidez.

O marido dela afirma que não sabia da farsa. No depoimento, a pedagoga afirmou que evitava qualquer contato físico com ele. Para parecer grávida, Maria Verônica usava "uma barriga de silicone" com enchimento.

Castro desmentiu que o casal tenha se separado e disse que por enquanto eles estão morando estrategicamente em casas separadas. "O marido dela continua levando uma vida normal. Não há separação. Eles estão morando em casas separadas porque é preciso preservá-la e para que não haja invasão de sua privacidade", disse Castro.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG