Falha impede roubo de caixas eletrônicos em São Paulo

Em mercado na zona norte da capital paulista, explosivos não foram detonados por falha. Material foi recolhido para perícia

AE |

selo

Munidos de explosivos, bandidos tentaram, sem sucesso, arrombar três caixas eletrônicos entre quinta-feira (19) pela noite a a madrugada desta sexta-feira nas zonas norte e oeste da capital paulista.

Uma falha no explosivo utilizado por três bandidos impediu o arrombamento de um caixa eletrônico do Bradesco instalado no estacionamento da loja do supermercado Sonda localizada na altura do nº 265 da rua Benjamim Pereira, no Jaçanã, zona norte de São Paulo, por volta das 21h45 de ontem. O mercado ainda estava aberto, segundo a polícia.

O trio, segundo a PM, estava de rostos à mostra e utilizou dois explosivos feitos com tubos de PVC, pólvora, pavio e bolinhas de gude, mas apenas um deles foi detonado e com impacto insuficiente para abrir a máquina, que ficou parcialmente destruída. O outro explosivo foi jogado para fora da cabine do caixa e acabou abandonado pelos criminosos, que teriam fugido a pé.

Agentes do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) da Polícia Militar foram acionados em razão do explosivo deixado no local pelos criminosos. O material será recolhido pelo Gate, que fará uma perícia na sede do batalhão e encaminhará posteriormente uma relatório para a Polícia Civil. O caso será registrado no 73º Distrito Policial, do Jaçanã.

Padaria

Explosivos foram abandonados por criminosos, nesta madrugada durante uma tentativa de explosão de dois caixas eletrônicos da rede Banco 24 Horas no interior da padaria Del Ami, localizada no nº 16 da rua Lucídio Marcondes de Souza, no Jardim João XXIII, na zona oeste da capital paulista.

O dono da padaria mora na sobreloja do estabelecimento e acordou com o barulho. Utilizando um dos três carros com os quais chegaram, os criminosos arrombaram a porta da padaria e, na sequência, quebraram a parte de cima dos caixas para inserir o explosivo. Segundos após o barulho do arrombamento, o comerciante, que já ligava para o 190, ouviu os criminosos gritarem: "Vai explodir, vai explodir", o que não aconteceu.

Como o alarme da padaria soou segundos após, a quadrilha desistiu de acionar novamente o dispositivo e deixou o local nos três carros e numa moto, segundo testemunhas. No local foram abandonados o fio e as bombas. O material também foi recolhido e será analisado pelo Gate.

Notas manchadas

Em nota divulgada na (18) quarta-feira, o Banco Central (BC) informou que toda cédula que contiver manchas, rabiscos, símbolos ou desenhos deve ser depositada ou trocada em estabelecimento bancário. "A população e o comércio devem recusar o recebimento de notas do Real marcadas", afirma a nota, em resposta às dúvidas sobre o destino das cédulas manchadas com tinta vermelha. Estas notas são manchadas como forma de combater furtos a caixas eletrônicos.

O BC esclarece que, caso alguma cédula marcada seja recebida inadvertidamente, ela deve ser encaminhada a um estabelecimento bancário, que entregará um recibo a quem apresentou a cédula. A cédula será então encaminhada ao BC para exame e destruição. Caso a nota seja legítima, a pessoa que a apresentou será ressarcida.

    Leia tudo sobre: são paulocrimeroubocaixa eletrônico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG