Estou abismada com a maldade dos meus pais

Filha do advogado Sandro Fernandes, que acusa o pai de abuso sexual, afirma que está chocada com os argumentos usados pela defesa

Kelli Franco, especial para o iG |

A filha de Sandro e Fernanda Fernandes, presos no dia 26 de setembro, resolveu falar novamente sobre os supostos abusos sexuais cometidos pelo pai e que teriam sido acobertados pela mãe em Bauru, cidade a 326 quilômetros de São Paulo. O motivo da quebra do silêncio da estudante de Direito, de 19 anos, são os argumentos apresentados pela defesa do casal. A pedido da garota, da polícia e do Ministério Público, seu nome não tem sido relevado.

Entenda o caso: Filha estudou teatro e quer bens do pai, diz defesa de advogado

No dia da prisão dos acusados , um dos advogados do casal Fernandes, Ricardo Ponzetto, afirmou que a jovem de 19 anos e outras três supostas vítimas, todas da família, estavam atrás do dinheiro de Sandro . Uma indenização pedida pela jovem e depois retirada foi o estopim para o comentário do advogado.

A jovem explica que o motivo da retirada da indenização foi a distorção dos fatos. "Eu tinha tudo, mas abri mão falando a verdade, ninguém iria se expor dessa maneira se não fosse verdade. Dinheiro nenhum paga a dignidade de uma pessoa. Que interesse tem uma criança de 9 anos?", disse, por telefone. A criança de 9 anos é o outro filho de Sandro e Fernanda, que também teria sofrido abusos.

Ela ainda ressaltou que há um laudo psicológico que aponta que as vítimas dizem a verdade. A informação já foi confirmada pelo promotor do caso. A filha de Sandro Fernandes também rebateu dizendo que a prima de 14 anos, outra suposta vítima, também não precisa de dinheiro e afirmou que as vítimas tem medo do que Sandro possa fazer, caso seja solto.

Outro fato que ganhou repercussão nos últimos dias é a declaração do funcionário de uma imobiliária. Ele disse que a filha de Sandro teria ligado para ele alguns dias antes do escândalo vir à tona para perguntar sobre os imóveis do pai. A jovem explica que o contato aconteceu a pedido da advogada da defensoria pública que acompanha o caso e que o funcionário que se manifestou não foi à pessoa que a atendeu.

"Eu estou abismada com a maldade dos meus pais, eles estão falando que eu fiz teatro, o advogado sabe muito bem quais argumentos usar, mas será que todas as vítimas fizeram teatro?", rebate. No processo também consta uma quinta suposta vítima , que seria uma empregada da família.

A filha de Sandro também rebateu as críticas de um tio, irmão de Sandro. Ele teria dito que as filhas dele sempre estavam na casa do irmão e que nunca aconteceu nada. Segundo a filha do acusado, o tio está mentindo. Ela afirma que as primas dormiram poucas vezes na casa do suposto autor de crimes sexuais.

Eu estou abismada com a maldade dos meus pais, eles estão falando que eu fiz teatro, o advogado sabe muito bem quais argumentos usar, mas será que todas as vítimas fizeram teatro?"

“Quem está defendendo ele [Sandro] só conhece o lado profissional, não conhece o que ele é entre quatro paredes. Para a sociedade é como se nada estivesse acontecendo, ele sempre disse que ninguém acreditaria porque ele é advogado famoso”, disse.

A jovem ainda afirmou que jamais mentiria sobre uma história como essa e que o processo não é uma briga de família, é uma briga para ter paz.

Ela esperava ajuda da mãe

A filha de Sandro Fernandes afirmou ainda que a maior indignação é com a mãe . Fernanda preferiu ficar ao lado do marido e não ao lado dos filhos, segundo ela. A jovem também afirmou que esperava até o último minuto de depoimento da mãe que ela resolvesse contar a verdade.

“Os meus avós sabem, mas estão defendendo ele [Sandro]. Eu até entendo por que eles estão defendendo, estão defendendo porque é filho, coisa que a minha mãe não fez”, afirma.

Wilian Olivato / Futura Press
A mulher de Sérgio, Fernanda Fernandes

Continue lendo sobre abuso sexual :

- Austríaco condenado por abuso sexual é preso no Maranhão

- Rede de prostituição cobrava mil reais por virgindade de jovem

- Suspeito de violentar crianças confessa e diz que era "brincadeira"

- Após ataques, presidente do Metrô afirma que local é seguro

    Leia tudo sobre: violência contra a mulherabuso sexualbauru

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG