Estado de São Paulo tem 13 mortes por chuva na terça-feira

Em São José dos Campos, interior, foram confirmadas 5 vítimas. No Jaçanã, zona norte da capital, mãe e filha foram soterradas

iG São Paulo |

Chegou a 13 os mortos pela forte chuva que atingiu o Estado de São Paulo entre a madrugada de segunda-feira e a manhã desta terça, segundo as últimas informações do Corpo de Bombeiros. A corporação afirma que duas vítimas morreram afogadas e outras 11 foram soterradas. O número ainda pode aumentar já que há desaparecidos.

Desde dezembro, quando começou a 'operação verão' no Estado, foram 23 mortes no Estado. Outros Estados atingidos pelas chuvas na estação são Minas Gerais, com 14 mortes, e Espírito Santo, com 5 mortes, conforme indica o mapa acima.

null

Em menos de 24h, entre segunda e terça-feira, o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) afirma que a capital paulista foi atingida por 68,8mm de chuva, o equivalente a 29% do esperado para janeiro. Se considerado desde o início do ano, o acumulado representa 93% do previsto.

Na madrugada, foram registrados 76 pontos alagamentos e, nesta manhã, outros 49. Por volta das 14h30, a situação já estava melhor e restava apenas um alagamento ativo ( veja aqui ). Por conta da chuva, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) suspendeu o rodízio municipal de veículos durante todo o dia.

Vítimas

A pior situação é a verificada em São José dos Campos, interior paulista, onde, por volta das 23h de segunda-feira, um deslizamento de terra matou 5 pessoas. Segundo informações da Defesa Civil Estadual, casas localizadas no alto do morro, no bairro de Rio Comprido, cederam e foram levando as residências de baixo, em um efeito dominó.

Mais de 20 bombeiros foram ao local. Entre as vítimas, estariam uma criança de 3 anos e dois

adolescentes. Há a informação de que duas pessoas sobreviveram e foram resgatadas com múltiplas fraturas pelo corpo.

No Jaçanã, zona norte da capital paulista, uma casa foi atingida por deslizamento de terra, soterrando uma mulher de 37 anos e uma menina de 8 anos, que seria filha dela. As duas chegaram a ser resgatadas com vida e encaminhadas ao pronto-socorro mais próximo, mas não resistiram aos ferimentos.

Em Mauá, na região metropolitana de SP, o Corpo de Bombeiros confirma três mortes após deslizamento, sendo duas no Jardim Zaíra e uma no Jardim Rosana. A Defesa Civil identificou dois homens, de 47 e 16 anos.

A chuva também causou a morte de um homem de 76 anos na cidade de Embu, segundo o órgão. Um adolescente de 17 anos foi socorrido ao Hospital Municipal do Campo Limpo com fraturas nos braços e pernas.

Conforme os bombeiros, um morador de rua de 27 anos foi encontrado morto na avenida Nove de Julho, região central de São Paulo. Segundo testemunhas, ele teria se afogado após ser arrastado pela enxurrada até bater em um carro.

Outro afogamento ocorreu em Tatuí, no interior paulista, após um motoqueiro de 21 anos ser arrastado pela enxurrada. Além das mortes, pelo menos duas pessoas ficaram feridas na zona sul da capital paulista. Em Brasilândia, na zona norte, uma casa foi completamente destruída, mas ninguém se feriu. 

Alagamentos

A chuva fez transbordar os rios Pinheiros e Tietê, além dos córregos Cabuçu de Baixo, na zona norte, Jaguaré, na zona oeste, e Morro do S, na zona sul. Na Marginal Tietê, o acúmulo de água interrompeu a passagem em diversos trechos em ambos os sentidos, principalmente na altura da ponte do Limão, ponte da Freguesia do Ó, ponte Presidente Jânio Quadros, ponte Tatuapé, ponte Vila Guilherme e na ponte das Bandeiras.

Jofre Andrade de Araujo/Minha Notícia
Internauta envia imagem de alagamento na cidade de Franco da Rocha, região metropolitana de SP
Moradores do Jardim Rochdale, na divisa com Osasco, relatam que a água do Rio Tietê invadiu cerca de 50 casas, destruindo móveis e eletrodomésticos. "Sábado aconteceu isso, hoje de novo. A água subiu tanto que está batendo no pescoço de alguns moradores", disse o motorista Rodrigo Silva, de 38 anos.

Em Perus, zona oeste, houve diversos pontos de alagamento. De acordo com o internauta Antonio Lopes, o problema se repete no local há mais de 30 anos. Já a leitora Andrea Aparecida Bonaldi conta que as proximidades da rua Baronesa de Porto Carneiro, na Barra Funda, também ficaram debaixo da água. “Toda a região – r. Cruzeiro, Cruzeiro, Solimões, dos Americanos, Geraldo Buono, Francisco Hartung - está intransitável. Os moradores estão ilhados dentro de suas casas, muitos já reclamam por perderem mais uma vez seus objetos", disse ela, sobre a situação vivida na noite de segunda-feira.

O internauta Edvaldo Resende escreveu ao iG e disse que a avenida Ordem e Progresso, na zona norte, “se tornou um verdadeiro rio”. Veículos, incluindo ônibus e caminhões, ficaram impedidos de transitar pela via. “Os poucos motoristas que se arriscaram com seus carros acabaram boiando,” diz.

Previsão do tempo

O CGE registrava chuva apenas de forma leve e em pontos isolados da cidade, por volta das 11h30. Contudo, como o solo já está encharcado, há o risco de novos alagamentos, inundações e deslizamentos de terra. Ainda assim, o sol deve aparecer e a máxima pode chegar aos 28ºC. O tempo não muda muito ao longo da semana e segue abafado com sol entre nuvens na capital e pancadas de chuva no fim do dia.


    Leia tudo sobre: chuvasdeslizamento de terraestragoscapital

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG