Estado de cão que foi enterrado vivo é grave, diz veterinária

Filhote de 4 meses apresenta quadros de sarna e infecção avançados. Ele ficou enterrado por 12h em Novo Horizonte, interior de São Paulo

iG São Paulo |

Divulgação
Filhote foi encontrado com quadro de sarna avançado em Nova Horizonte, interior de SP
O filhote de 4 meses, que passou 12h enterrado na cidade de Nova Horizonte, no interior de São Paulo, encontra-se em estado grave. A veterinária Viviane Cristina da Silva afirmou que o cão, antes mesmo de ser enterrado, já possuía sérios problemas de sarna e, por isso, "o quadro de infecção bacteriana evoluiu muito".

"Ainda espero resultados de outros exames para entender melhor o quadro do Titã [nome que o filhote ganhou na própria clínica] . Como sua sarna não foi devidamente tratada, ela evoluiu e agora o afeta causando uma infecção bacteriana secundária", explicou. O animal passa por um tratamento de sarna via oral e recebe dois banhos terapêuticos por dia.

Além de sérias feridas na pele, Titã teve seu olho esquerdo machucado. "O olho é um problema secundário e que será tratado assim que ele estiver melhor e com saúde para aguentar um procedimento cirúrgico", explica.

Entenda o caso: Cão de 4 meses é resgatado após passar 12h enterrado

Crime em Piracicaba: Morre cão que foi arrastado por dono em Piracicaba

A clínica veterinária, onde o filhote está sendo tratado, tem recebido ligações de diversas cidades da região. Muitos querem saber quando Titã estará pronto para ser doado. "Peço paciência a todos que ligam aqui. Ele ainda não está pronto para uma doação". Viviane espera que nos próximos dias poderá dizer se Titã corre risco de morrer ou não. "Ele voltou a comer. Isso nos dá muita esperança".

Resgate

O presidente da Associação de Proteção aos Animais 'Mão Amiga', Marcos Antônio Rodrigues, afirmou que o caso comoveu grande parte dos 35 mil moradores da cidade. A denúncia veio de uma vizinha que acompanhava a situação do animal. "Ela já tinha visto o cachorro sofrendo maus tratos. Um integrante da associação tentou encontrá-lo e não conseguiu. Ao falar com a mulher sobre o susposto sumiço, ela disse que o dono poderia ter enterrado", explicou.

Alexandre, integrante que buscava o filhote nas ruas da cidade, decidiu olhar em um terreno na região e percebeu que uma parte da terra 'se movia'. "Foi muito rápido. Ele contou que cavou e logo viu o animal ainda vivo e tremendo". O cachorro foi socorrido e levado para uma clínica veterinária. A previsão é que em 15 ou 20 dias ele esteja pronto para ganhar um novo lar.

A associação informou que já teria apresentado um termo circunstanciado à Justiça e o suspeito de enterrar o cachorro deve ser investigado pelo crime de crueldade contra animais. "Queremos que ele pague pelo que fez. Muitos animais estão sendo maltratados e a polícia precisa fazer alguma coisa" desabafou Rodrigues.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG