Estação Pinheiros abre sem integração, banheiro e sinal de celular

Passageiros poderão usar os banheiros dos funcionários, após pedir para um agente da estação

iG São Paulo | 16/05/2011 12:46 - Atualizada às 15:12

Compartilhar:

A Estação Pinheiros da Linha 4-Amarela começou a operar às 10h desta segunda-feira. Porém já enfrenta duras críticas por não possuir alguns itens que facilitariam a vida do usuário. A inauguração ocorreu sem a estação possuir a integração com a Linha 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), o terminal de ônibus anexo, banheiros públicos, sinal de celular e wireless (internet sem fio).

Ainda nesta manhã, um grupo de cerca de 20 manifestantes se concentrou na porta da nova estação protestando contra parcerias público-privadas (PPP) em obras de transporte coletivo no Estado. O grupo, entre eles sindicalistas e familiares das vítimas da cratera de 2007, carregava cartazes de protesto e usava camisetas com imagens das vítimas, enquanto aguardava a chegada de Alckmin.

Foto: AE

Manifestantes aguardavam chegada de Alckmin em frente da Estação Pinheiros

Os usuários que necessitarem utilizar transferência com a CPTM terão de pagar mais R$ 2,90 - a promessa de "integração improvisada" feita em abril pelo secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, foi inviabilizada pela ViaQuatro, concessionária responsável pela operação da linha.

O "improviso" daria aos passageiros do Metrô tíquete para embarcar de graça na CPTM - e vice versa - até construção da passarela que permitirá integrar os sistemas. Segundo o governador Geraldo Alckmin, a transferência gratuita que iria começar em 30 de junho foi antecipada e deve funcionar a partir do dia 2 de junho. A informação também era anunciada aos usuários pelo alto falante da estação, em intervalos de cerca de vinte minutos. O gestor de atendimento da ViaQuatro, José Luiz Bastos, diz que usuários terão opção de descer na Estação Cidade Universitária da CPTM e usar a Ponte Orca, que faz transporte de ônibus até a Estação Vila Madalena da Linha 2-Verde do Metrô.



Já a integração com o Terminal Intermodal Pinheiros, projetado pela Prefeitura, não tem prazo. A obra faz parte da revitalização do Largo da Batata e estava prevista para dezembro. Mas o canteiro de obras, ao lado da estação de Metrô, na Rua Capri, está vazio. A SP Obras informou que a retomada do projeto deve ocorrer no segundo semestre deste ano. A conclusão levará mais de um ano. Na prática, além de pagarem duas tarifas, passageiros do Metrô que tiverem de usar trem terão de andar 600 metros entre as duas estações. Na manhã desta segunda, não foi rara a cena de pessoas perguntando como chegar ao Terminal Intermodal Pinheiros e fazendo cara de indignação com a resposta.

As calçadas, principalmente da Rua Capri, estão esburacadas ou não existem. Quem precisar de ônibus terá de caminhar até vias já próximas da Estação Faria Lima do Metrô.

Sem banheiros

A nova estação também não tem banheiros públicos, como prevê resolução da Secretaria dos Transportes Metropolitanos de maio de 2010.

A ViaQuatro informou que passageiros poderão usar os dos funcionários, após pedir para um agente da estação. Para Sérgio Andreucci, da Associação de Moradores e Empresários de Pinheiros, a entrega poderia ser adiada até banheiros e integração estarem prontos. Wireless e celular não têm prazo.

Bicicletas

No lado direito da entrada da estação Pinheiros há um grande espaço com portões em cores branca e azul reservado para o estacionamento de bicicletas. O bicicletário tem capacidade para 200 bicicletas, sendo algumas paradas em espaços próprios no chão e outras penduradas em grandes ganchos.

Na área de embarque e desembarque dos trens do metrô também existe uma área específica para quem usa a bicicleta como meio de transporte. Em frente às portas de acesso aos trens, o ciclista pode ver uma demarcação no chão, em verde e branco com o desenho de uma bicicleta.

*com AE

    Notícias Relacionadas



    Ver de novo