"Erros acontecem em qualquer lugar", diz visitante do Hopi Hari

Público que compareceu ao parque na reabertura diz confiar na segurança das atrações após vistorias

Carolina Garcia, enviada a Vinhedo (SP) |

Domingo, céu aberto e calor de 30ºC são as condições perfeitas para um passeio em família. E foram esses os fatores que influenciaram a família Pinheiro, de Votorantim, no interior de São Paulo, a escolher o Hopi Hari, em Vinhedo (SP) como destino no dia da reabertura do parque de diversões, 20 dias após o acidente que matou Gabriela Nichimura, de 14 anos .

Leia também: Hopi Hari é reaberto com principais atrações interditadas

Carolina Garcia
Família Pinheiro, de Votorantim (SP), aproveita domingo ensolarado para conhecer o Hopi Hari
"Erros e acidentes acontecem em qualquer lugar. No mês passado foi aqui em Vinhedo. E se tivesse ocorrido em Orlando, nos Estados Unidos?", questiona Erick Fabricio Pinheiro, de 31 anos. Para ele, hoje foi o dia ideal para levar a mulher e o filho de 6 anos ao parque.

"O tempo está ótimo e há muito tempo eles me pedem para vir aqui. Acredito que o parque é seguro, ainda mais depois de todas as vistorias", disse. A avaliação de Pinheiro era parecida com a da grande parte das pessoas que formavam filas desde as 10h30 no parque.

Talita Lopes, de 20 anos, e Pedro Dias, de 23, são veteranos e visitam o parque pela terceira vez. Ambos disseram ter acompanhado pela imprensa o acidente no brinquedo La Tour Eiffel e afirmaram que, após as vistorias, não há razões para temer. Porém, o casal reconheceu que o movimento do parque não é o mesmo.

"Acho que as pessoas ainda têm medo e querem esperar para ver como o parque vai ficar. Confio na estrutura do local e não acho que eles iriam abrir com riscos", disse Dias. "Não podemos deixar isso mudar nossa rotina. Precisamos nos divertir".

Carolina Garcia
Público menor na reabertura do parque é vantagem para Talita Lopes e Pedro Dias
Para Talita, que tem medo de altura, o fato de algumas importantes atrações estarem fechadas não influenciará na sua diversão. "Nem se estivesse aberta, eu não iria (no elevador). Sempre tive medo". Um menor público é uma vantagem para o casal que conta com "uma fila mais curta e tempo de espera menor nos outros brinquedos".

Movimento

Ao caminhar pelas dependências do parque é notável que alguns trechos permanecem vazios. Outros, como a região da atração Rio Bravo, onde o visitante percorre um rio em uma boia, registram o maior numero de pessoas na fila devido ao calor de hoje.

Procurada pela reportagem, a assessoria do parque Hopi Hari disse não informar o número oficial de visitantes "devido a uma estratégia do grupo". O complexo ficara aberto até as 19h neste domingo e abre novamente na próxima sexta-feira (30) seguindo a programação normal do parque.

Carol Garcia
Na reabertura do parque Hopi Hari, movimento foi menor que o normal antes do acidente

    Leia tudo sobre: Hopi Hariparque de diversãoreabertura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG